Basta de mutreta – Walter Gomes

Tem sentido a sugestão de Cláudio Abramo (*), signatário do portal Transparência Brasil. Fê-la em debate, ontem, sobre a legislação…

Tem sentido a sugestão de Cláudio Abramo (*), signatário do portal Transparência Brasil. Fê-la em debate, ontem, sobre a legislação que disciplina a ação de pretendentes a mandato eletivo.

Resumo da proposta:

A declaração de bens dos candidatos apresentada à Justiça Eleitoral deveria ser uma cópia do documento entregue à Receita Federal.

Em verdade, há discrepâncias entre uma e outra, mas a fiscalização (?) parece não se importar com as divergências, algumas malandramente escandalosas.

Fosse possível acessar os dados oficiais do Imposto de Renda, esse conflito seria observado na ‘operação faz de conta’ de postulantes potiguares a mandato popular. É nebulosa a origem do patrimônio de, pelo menos, uma dezena de políticos do Rio Grande do Norte.

(*) Trata-se de referência nobre do jornalismo brasileiro.

Família à parte

Luciana Genro (foto) espera, pelo menos, 8% dos votos.

Representante do PSOL na disputa para presidente da República, a gaúcha foi deputada federal de eficiente ação política.

Filha de Tarso Genro (PT), governador do Rio Grande do Sul em busca da renovação do mandato, a ex-petista faz campanha amanhã, em Porto Alegre, ao lado de Roberto Robaina, rival do pai dela.

Quinta-feira, fala em Curitiba; sexta, em Brasília; sábado e domingo, no Rio de Janeiro.

De agenda mista

Almoço seguido de partida final da Copa do Mundo.

Domingo, no Rio de Janeiro, a presidente Rousseff reúne de 10 a 12 colegas, na sede carioca do Itamaraty e, depois, acompanha-os ao Maracanã.

Terça-feira, em Fortaleza, participa da abertura da VI Cúpula do BRICS (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Na tarde seguinte, em Brasília, com a presença de governantes dos países sul-americanos convidados, encerramento da conferência

Avaria no início

Uma questão com reflexo imperioso no pleito do Rio de Janeiro.

Governador recandidato, Luiz Fernando Pezão (PMDB) observa os movimentos da presidente da República.

Embora não explicite, Dilma Rousseff prefere Lindbergh Farias (PT) no Palácio Guanabara.

Por isso, Pezão ‘se esquece’ de citá-la na iniciante campanha eleitoral de rua. No entanto, cada vez mais, fala das propostas de Aécio Neves (PSDB), até agora principal adversário da petista.

Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB) se alternam na liderança das sondagens de opinião. A tendência, entretanto, é que Luiz Fernando e Lindbergh avancem no território dos dois.

– Quase dois meses depois de o candidato afirmar, chegou a vez de Fernando Henrique Cardoso repetir: “Se Aécio (Neves) vencer em São Paulo, será o próximo presidente do Brasil.” Ao lado, o senador Aloysio Nunes Ferreira, paulista vice do mineiro, concluiu: “Então, comemoremos.”

– Endereço na internet da campanha para reeleger a presidente da República: www.dilma.com.br.

– Inflação é perceptiva para 53% dos jovens frequentadores de baladas. Para os adultos que vão aos supermercados, o aumento do custo de vida é detectado por 89%. O levantamento tem a assinatura do instituto SLP. Foi realizado em três estados – São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro – e no Distrito Federal.

– Caiu 23% a captação da caderneta de poupança no primeiro semestre. A comparação tem como base o mesmo período de 2013.

– Saulo Queiroz é político movido pela versatilidade. Representante de Mato Grosso do Sul na Câmara, passou pelo DEM e PSDB. Em outubro, volta à Casa sob a bandeira do PSD. Ele é secretário-geral da sigla.

– Para refletir: “Futebol se joga no Estádio? Futebol se joga na praia, futebol se joga na rua, futebol se joga na alma” (Carlos Drummond de Andrade, cronista e poeta brasileiro).

Compartilhar:
    Publicidade