Blogueiros buscam justiça no caso de jornalista assassinado no RN

Ato será em defesa da liberdade de expressão

Blogueiro foi assassinado em frente ao seu jornal "O Serrano". Foto:Divulgação
Blogueiro foi assassinado em frente ao seu jornal “O Serrano”. Foto:Divulgação

Nesta quinta feira (5), terá início o julgamento dos acusados de assassinarem o blogueiro, jornalista e presidente do PT de Serra do Mel/RN, Edinaldo Filgueira, fundador do Jornal O Serrano naquele município. Edinaldo foi assassinado em frente a sede de seu jornal, por três homens em uma motocicleta. A manifestação ocorrerá em frente ao novo fórum de Mossoró e contará com a presença de blogueiros, militantes políticos, amigos e familiares da vítima e terá início às 8:00 horas da manhã.

Segundo informações, os manifestantes pretendem reclamar da impunidade para os políticos envolvidos nas investigações. O ex-prefeito do município Josivan Bibiano de Azevedo (PSDB), foi o acusado de encomendar a morte do blogueiro e presidente do PT, tendo sido preso, preventivamente, em dezembro de 2012 e início deste ano. Ao concluir o mandato e o processo descer para a 1ª instância, a denúncia contra o prefeito não foi recebida.

O julgamento

Ao todo oito pessoas serão julgadas. Rafânio Brito de Azevedo, Ranielly Brito de Azevedo, Daniel dos Santos Azevedo, Paulo Ricardo da Costa, Marcélio de Sousa Moura, Abinadab Ismael Nunes Pereira da Silva, Francisco Fábio Ferreira e Cícera Soares da Silva foram indiciados pela morte de Edinaldo, na época com 36 anos. Sob a presidência do juiz Jussier Barbalho Campos, a sessão está marcada para começar às 9h, com quatro advogados de defesa e o assistente de acusação Lázaro Amaro dos Santos e Silva. Ainda de acordo com dados do site do TJRN, constantes no processo de número 0011674-33.2011.8.20. 0106, encontram-se presos: Ranielly Brito, Daniel dos Santos, Paulo Ricardo, Marcélio de Sousa, Abinadab Ismael e Francisco Fábio.

As investigações conduzidas pelo delegado Odilon Teodósio teve a colaboração da Polícia e indiciou criminalmente oito acusados na primeira parte do inquérito que apurava o caso e que as investigações apontavam para uma motivação político-partidária no crime. No inquérito a acusada Cícera Soares foi indiciada, juntamente com Rafânio Azevedo, Raniely Azevedo e Daniel Azevedo, como autores intelectuais do crime. Já Abnadabe Nunes, Francisco Fábio, Paulo Ricardo e Marcélio de Sousa também foram indiciados, apontados como envolvidos diretamente na execução de Edinaldo, que também era o então presidente do PT de Serra do Mel.

Na ocasião, todos foram indiciados pelo crime de homicídio qualificado e formação de quadrilha, além de outros agravantes. Os sete homens indiciados pela Polícia Civil por envolvimento no assassinato mantinham uma relação antiga em crimes praticados na Serra do Mel e cidades da região Oeste potiguar, como assaltos a ônibus, alternativos, roubo de cargas e execuções, de acordo com a Polícia Civil.

Na época, o então prefeito de Serra do Mel, Josivan Bibiano de Azevedo, ainda foi preso preventivamente na operação “Matadores de Aluguel”, como autor intelectual e mandante do crime. Dias depois, ele foi solto pela justiça, e teve a prisão preventiva decretada no final do ano de 2012. A denúncia contra ele não foi recebida quando caiu para a primeira instância e o Ministério Público apresentou recurso que foi julgado fora do prazo.

Denúncia do MPE

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, autor da ação, desde o ano de 2010, todos os denunciados pela morte de Edinaldo associaram-se para cometer crimes mediante emprego de armas de fogo. “Já em 15 de junho de 2011, por volta das 22h30, na Loja Empório do Saber, os denunciados Abnadab Ismael Nunes Pereira da Silva, Francisco Fábio Ferreira e Paulo Ricardo da Costa, em comunhão de desígnios e mediante prévio ajuste e obedecendo ao comando dos também denunciados Rafânio Brito, Ranielly Brito, Daniel dos Santos Azevedo, Marcélio de Souza Moura e Cícera Soares da Costa, mataram por motivo torpe a vítima Edinaldo Filgueira, de modo a dificultar qualquer chance de defesa.”

Ainda de acordo com o processo, com o avanço das investigações, ficou comprovado que coube aos denunciados Rafânio Brito, Ranielly Brito, Daniel dos Santos e Cícera Soares orquestrar o assassinato de Edinaldo, provando-se ao final, que as constantes denúncias de irregularidades na Administração Pública em Serra do Mel, então governado por Josivan Bibiano (PSDB), levadas a conhecimento público pelo jornal de propriedade da vítima, causavam desconforto no grupo, pondo em risco seus respectivos contratos de prestação de serviços contratados pelo município.

Fonet:Assessoria

Compartilhar: