País tem recorde de arrecadação mas não há investimento, diz Felipe Maia

Felipe Maia lembrou que apesar da elevada carga tributária, a população não recebe serviços públicos de qualidade e não há investimentos para o desenvolvimento do país

Deputado cobra investimentos no Brasil. Foto: Divulgação
Deputado cobra investimentos no Brasil. Foto: Divulgação

Para onde está indo o dinheiro que o povo brasileiro paga em impostos? Com este questionamento o deputado Felipe Maia (DEM) criticou, nesta quarta-feira (30), no plenário da Câmara, o mau uso de recursos públicos pelo governo federal. O parlamentar destacou que apesar de a economia do país estar patinando, o Brasil bateu novo recorde de arrecadação de impostos e contribuições federais no primeiro trimestre deste ano, com a soma de R$ 293 bilhões. “Para onde está indo esse dinheiro que sai do bolso dos brasileiros? Para os quase 40 Ministérios que estão na Esplanada? Para as despesas sigilosas do governo que a cada ano aumentam? O povo brasileiro não aguenta mais pagar tantos impostos”, ressaltou o deputado.

Felipe Maia lembrou que apesar da elevada carga tributária, a população não recebe serviços públicos de qualidade e não há investimentos para o desenvolvimento do país. “O povo paga uma fortuna em impostos e ainda tem que pagar segurança privada, plano de saúde e escola particular. Além disso, o governo não investe em obras que vão impulsionar o país, como estradas, portos, a transposição do rio São Francisco. O governo trata o dinheiro público com desrespeito”, afirmou.

Como resultado desse descaso com o país, segundo o deputado, houve a queda na intenção de votos da presidente Dilma Rousseff que recuou 6,7 pontos, passando de 43,7%, em fevereiro, para 37% em abril. De acordo com a pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), o número de pessoas que consideram o governo do PT bom e ótimo caiu de 36,4%, em fevereiro, para 32,9%; e os que acham ruim e péssimo foi de 4,6%, em agosto de 2011, e agora chega a 30% da população. “As pessoas acreditaram em uma promessa chamada Dilma. Era uma Dilma fictícia, considerada uma grande gerente. Agora é a Dilma real que vai enfrentar a crítica do povo brasileiro por sua falta de gestão. Esses números são o carimbo da ineficiência do governo federal”, disse o deputado.

 

Compartilhar:
    • Nilson Moura messias

      Este neto da ditadura é cego. Das 50 maiores obras construídas no mundo, 11 estão no Brasil, acho que ele está se referindo ao RN, onde o demo, vive se humilhando ao PMDB, para manter sua cadeira na camâra. Oftalmologista, urgente para o netinho da ditadura..