Brasileiras estão entre as acrobatas feridas em acidente em circo nos EUA

Dayana Florentino, Stefany e Widny Neves estão internadas. Queda foi de cerca de 7 metros de altura; um artista foi atingido no chão

Artistas estavam penduradas pelos cabelos quando caíram. (Foto: Frank Caprio/AP Photo)
Artistas estavam penduradas pelos cabelos
quando caíram. (Foto: Frank Caprio/AP Photo)

Três brasileiras estão entre as nove acrobatas feridas após um acidente durante uma apresentação aérea no circo Ringling Brothers and Barnum and Bailey Circus neste domingo (4) em Providence, nos Estados Unidos. Dayana Florentino, Stefany Neves e Widny Neves estão internadas no Hospital de Rhode Island.

Na apresentação, oito artistas formam uma espécie de candelabro ou lustre, suspensos apenas pelos cabelos Uma plataforma que era elevada e suspendia as artistas caiu, lançando as oito no chão e ferindo um dançarino que estava embaixo.

Segundo Gustavo Torres, primo de Dayana, a jovem de 22 anos foi submetida a uma cirurgia na coluna e se recupera bem. Ela deverá ainda ser operada em uma das mãos que sofreu uma cirurgia.

Stefany Neves, de 19 anos, sofreu fraturas nos dois tornozelos, no fêmur e teve o fígado perfurado por uma costela. Segundo sua irmã, Renata Neves Bezerra, a jovem já passou por uma cirurgia ainda no domingo, na qual a hemorragia no fígado foi contida, e será operada novamente nesta segunda.

“Pela manhã falamos com ela no telefone, ela estava bem, disse que não está sentindo dor porque está medicada. A voz dela estava calma, serena, passou bastante tranquilidade para a gente”, contou Renata ao G1. “Elas estão todas sendo muito bem assistidas, eles [o circo] entram em contato conosco por telefone, estão dando tudo o que precisam.”

Uma terceira brasileira, Widny Neves, também está entre as artistas hospitalizadas. Em sua página do Facebook, Widny diz ter estudado educação física em Joinville, Santa Catarina. O G1 procurou os pais da artista e aguarda retorno.

O grupo fazia uma apresentação do espetáculo Legends no Dunkin’ Donuts Center, em Providence. Segundo a empresa Feld Entertainment, as artistas fazem parte da Trupe Medeiros, desenvolvida por um brasileiro, Andrey Medeiros. A mulher dele, a búlgara Viktoria Medeiros, também está entre os feridos. As outras artistas seriam da Ucrânia e Bulgária.

O G1 entrou em contato com o hospital de Rhode Island e com a empresa organizadora do espetáculo e aguarda retorno.

Um vídeo feito por um espectador mostra o instante da queda, quando as artistas estão penduradas a cerca de 7 metros de altura. Segundos depois, quando elas começaram o número, as mulheres caem e o aparelho de metal que as sustentava cai sobre elas.

Em nota, a empresa Feld Entertainment informou que “todos os artistas em cena receberam atendimento médico imediato e foram transportados para o hospital. As apresentações foram canceladas e foi iniciada uma investigação para detectar as causas do acidente”.

Trajetória

Segundo a família de Stefany, a jovem saiu da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, para ir para os Estados Unidos para trabalhar no circo em 2012. A jovem é bailarina profissional e passou em um teste feito pela companhia no Brasil. Inicialmente, trabalhou como dançarina. Depois, acabou entrando na equipe que faz a performance na qual as mulheres ficam penduradas pelos cabelos. “Ela é apaixonada pelo que faz, gosta muito de dança, estava curtindo muito, a intenção dela era ficar por lá e seguir carreira.”

A mãe e um irmão da brasileira irão para os Estados Unidos ainda nesta segunda para acompanhar a recuperação da jovem.

Içadas pelos cabelos

O espetáculo em que os artistas são pendurados pelos cabelos é descrito no site do circo como um “ato maior que a vida” com oito artistas do sexo feminino. “Esses ‘artistas de cabelo’ fazem uma combinação de coreografia e piadas, incluindo fiar, se pendurar e rolar para baixo envolto sedas, tudo enquanto estão suspensos no ar a mais de 10 metros de altura e apenas pelos cabelos”, diz o site. “Neste ato de arrepiar os cabelos, o público ainda vai ver o peso de três meninas mantidas no ar apenas pelas mechas de uma delas.”

 

Fonte: G1

Compartilhar:
    Publicidade