Brazuca, a bola da Copa do Mundo de 2014, é apresentada no Rio

Bola levou dois anos e meio para ser produzida

Em dois anos e meio, 600 jogadores de 30 times fizeram testes com a bola oficial da Copa 2014. Foto:Divulgação
Em dois anos e meio, 600 jogadores de 30 times fizeram testes com a bola oficial da Copa 2014. Foto:Divulgação

Brazuca foi o nome escolhido após uma votação pública no Brasil em setembro de 2012 e que envolveu 1 milhão de fãs de futebol. A popular expressão “brazuca” significa “brasileiro” e descreve o modo de vida do país. As cores e o design dos seis painéis da bola foram inspirados nas fitas da sorte do Senhor do Bonfim da Bahia e simbolizam a paixão e alegria associadas ao futebol no Brasil.

Esta bola passou por um completo processo de testes durante mais de dois anos e meio, envolvendo mais de 600 dos melhores jogadores do mundo e 30 equipes de 10 países espalhados por três continentes. Esta é a bola que mais provas enfrentou, de forma a garantir uma performance perfeita em todas as condições.

Equipes como o Milan, o Bayern de Munique, o Palmeiras e o Fluminense participaram dos testes. E Lionel Messi, Iker Casillas, Schweinsteiger e Zinedine Zidane foram alguns dos jogadores envolvidos no processo. A bola já havia sido testada em campo em encontros internacionais durante o Mundial Sub-20 da Fifa, com um design diferente, e também em um jogo amistoso entre a Suécia e a Argentina em fevereiro deste ano.

A tecnologia incorporada e a estrutura da Brazuca são as mesmas que foram utilizadas na construção da Tango 12, bola utilizada na última Eurocopa, e na Cafusa, criada para a Copa das Confederações deste ano. Mas a estrutura é nova, com seis painéis simétricos idênticos e uma superfície exclusiva que procurar dar maior aderência e melhor aerodinâmica.

Com detalhes coloridos envolvendo os seis gomos da bola, a Brazuca representa o “futebol vibrante” do País. Essa foi a primeira vez que a bola oficial do Mundial foi apresentada antes do sorteio das chaves da Copa do Mundo, que será nesta sexta na Costa do Sauípe (BA).

Fonte:Estadão

Compartilhar: