Bruno pede transferência para Apac de Nova Lima e pode jogar no Villa

Há a possibilidade de a mulher do ex-goleiro, Ingrid Calheiro, fixar residência na cidade; TJMG ainda não confirmou existência da consulta

Goleiro pode voltar a atuar profissionalmente. Foto:Divulgação
Goleiro pode voltar a atuar profissionalmente. Foto:Divulgação

A defesa do ex-goleiro Bruno Fernandes tenta mais uma artimanha para para livrá-lo da cadeia convencional. A ideia agora é tentar transferir o ex-atleta da Penintenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) em Nova Lima.

Segundo um dos defensores de Bruno, o advogado Lúcio Adolfo, cogita-se até a possibilidade de a mulher dele, Ingrid Calheiros, fixar residência na cidade para que Bruno consiga cumprir requisitos para ser aceita em uma Apac.

“O pedido já havia sido feito há um tempo para os juízes de Nova Lima e Contagem. E também houve um contato informal, mas ainda não temos a confirmação”, explicou.

Além disso, a defesa de Bruno também levantou a possibilidade de ele trabalhar no Villa Nova Atlético Clube, como jogador, mas a possível conversa não foi finalizada.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) ainda não informou se o pedido realmente foi feito ou não.

Compartilhar:
    Publicidade