“Burocracia impede retomada das obras de hotel na Via Costeira”

Empresa teria aceitado se adequar ao plano diretor de Natal para que a obra fosse retomada

Fernando Bezerril trabalha na tentativa de vencer burocracia do poder público. Foto: Arquivo
Fernando Bezerril trabalha na tentativa de vencer burocracia do poder público. Foto: Arquivo

Carolina Souza

acw.souza@gmail.com

 

Com obras paralisadas há cerca de sete anos, o Hotel BRA, na Via Costeira, caiu no esquecimento dos órgãos públicos. A rede de hotéis Infinity, dona do empreendimento, vem tentando a aprovação do novo projeto de construção do hotel junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), desde janeiro deste ano, mas ainda não se sabe quando a permissão para retomada da construção será concedida. Enquanto isso, a estrutura embargada continua ‘enfeiando’ a paisagem do principal corredor turístico da capital potiguar.

A obra foi interrompida em 2006, durante a primeira gestão do prefeito Carlos Eduardo, porque estava fugindo das regras expressas no Plano Diretor de Natal. A intenção do grupo responsável pela construção do Hotel BRA – que já investiu mais de R$ 50 milhões no empreendimento – é retomar imediatamente os trabalhos, mas a orientação é esperar um sinal verde de todas as autoridades para que nenhuma ‘surpresa’ surja no caminho.

“Estamos esperando que a Semurb finalize a análise do processo, pontuando a adequação do antigo ao novo projeto de construção do Hotel BRA. Estamos esperando que o órgão se pronuncie”, destacou o secretário. “Estou acompanhando passo a passo desse longo trabalho. O meu papel, enquanto secretário, é de gerar desenvolvimento à cidade e destravar os problemas que estejam impedindo a projeção do nosso turismo. Não irei descansar até ver as obras retomadas”, disse Fernando Bezerril, secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico.

Para auxiliar do prefeito Carlos Eduardo, a burocracia da máquina pública é que está atrapalhando a retomada dos trabalhos, capaz de gerar mais de 400 empregos diretos na cidade. “A rede Infinity aceitou se adequar ao Plano Diretor e derrubar tudo aquilo que eles fizeram de errado. Para mim, isso representa respeito à nossa cidade”, disse.

A nova proposta de construção do empreendimento foi apresentada ao Ministério Público Federal, com conhecimento do Ministério Público Estadual, além da Procuradoria Geral do Município e do departamento jurídico da Semurb, que chegou a acenar favoravelmente às mudanças introduzidas no projeto. Entretanto, de acordo com Carlos Castim, Procurador Geral de Natal, o documento ainda precisa ser analisado de modo a identificar pendências jurídicas.

O Jornal de Hoje falou com Carlos Castim na manhã de ontem (19) sobre o andamento do processo do Hotel, mas ele informou que só teria acesso ao projeto no período da tarde. Hoje, a reportagem voltou a fazer contato com o procurador, mas ele não atendeu aos telefonemas. O JH também entrou em contato com a Semurb. Segundo o titular da secretaria, Marcelo Toscano, foram feitas pré-analises do projeto, mas o documento original não chegou a ser protocolado na secretaria.

O novo projeto para o BRA, assinado pela arquiteta Viviane Teles, prevê a derrubada do último andar do prédio, incluindo a construção de um espaço aberto ao público com uma praça e mirante onde se pode contemplar toda a Via Costeira, praia de Ponta Negra e o Morro do Careca, além do Parque das Dunas. Segundo o secretário Fernando Bezerril, essa nova proposta deverá atender às exigências do Plano Diretor.

Compartilhar:
    Publicidade