Câmara aprova proposta de Amanda Gurgel sobre plebiscito do transporte

Vereadora deseja que população aponte diretrizes e opine sobre como deve funcionar o transporte

Proposta é questionar  à população se o tranporte deve ser  público ou privado, pago ou gratuito e se deve ser controlado  pela Prefeitura ou por um conselho eleito  pelo povo. Foto: Divulgação
Proposta é questionar
à população se o
tranporte deve ser
público ou privado, pago ou gratuito e se deve ser controlado
pela Prefeitura ou por um conselho eleito
pelo povo. Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Natal aprovou, nesta terça-feira (1º), o projeto de decreto legislativo da vereadora Amanda Gurgel (PSTU) que propõe a realização de um plebiscito sobre o transporte público na cidade. A proposta foi aprovada em primeira discussão pelos vereadores e será votada novamente após o fim do recesso parlamentar, a partir do dia 1º de agosto.

Com o projeto do plebiscito, a vereadora Amanda deseja que a população de Natal possa apontar as diretrizes e dizer como deve funcionar o transporte. Inicialmente, a professora propõe três perguntas básicas. 1) O transporte deve ser público ou privado? 2) Pago ou gratuito? 3) Controlado apenas pelo prefeito da cidade ou por um Conselho Popular eleito?

“Os trabalhadores e jovens de Natal são os principais usuários do transporte coletivo. E pagam muito caro por um serviço de péssima qualidade, com ônibus velhos, sem segurança, lotados, num trânsito caótico, além das longas esperas nas paradas. Diante disso, nada mais justo que a própria população decida como deve funcionar o transporte, já que é ela que sofre com a ganância dos empresários do Seturn. Devemos exigir esse plebiscito.”, ressalta a vereadora Amanda.

A proposta do plebiscito sobre o transporte foi aprovada, em primeira discussão, a menos de duas semanas da data apontada pela Prefeitura de Natal para o anúncio de um aumento na passagem de ônibus. Conforme noticiado pela imprensa, o prefeito Carlos Eduardo (PDT) pode aumentar a tarifa de R$ 2,20 para R$ 2,30 a partir do dia 15 de julho, atendendo ao pedido dos empresários do Seturn, que ainda querem subsídios.

Para o mandato da vereadora Amanda, os trabalhadores e estudantes também devem ir às ruas em protesto contra o reajuste da passagem de ônibus.

Compartilhar: