Câmara debate instalação de centro de detenção no Bom Pastor

A iniciativa contou com a participação de representantes da Polícia Militar do RN e das secretarias municipais, além das lideranças comunitárias

aud. pública (1)

Por proposição dos vereadores Aroldo Alves (PSDB), Chagas Catarino (PROS) e Ubaldo Fernandes (PMDB), a Câmara Municipal de Natal realizou na manhã desta quarta-feira (9) uma audiência pública para discutir a instalação do Centro de Detenção Provisória (CDP) no bairro Bom Pastor.

A iniciativa contou com a participação de representantes da Polícia Militar do RN e das secretarias municipais de Educação (SME) e Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), além de líderes comunitários e sociedade civil.

“A Câmara apoia a luta dos moradores do Bom Pastor contra a instalação do CDP no bairro”, disse Ubaldo Fernandes. Segundo ele, o Governo do Estado deveria realizar obras que realmente beneficiassem a comunidade como praças, escolas e unidades de saúde.

Rogério Silva, assessor da Semdes, afirmou que a estrutura vai interferir no cotidiano das pessoas que vivem na localidade. “Nosso trabalho engloba a defesa dos direitos humanos, portanto, levamos em consideração as preocupações da população”.

Para o tenente André Firmino, que representou a Polícia Militar, a decisão de desativar uma creche e no lugar instalar um Centro de Detenção foi equivocada. “Sabemos que a chegada de uma estrutura dessa natureza pode gerar muitos transtornos, pois desvaloriza os imóveis e gera insegurança”, avaliou.

“O problema é que não há uma legislação que regule a distância entre unidades prisionais e áreas residenciais. É importante que a sociedade passe a debater esse tema, com vista a inserir uma distância mínima no plano diretor das cidades”.

De acordo com o presidente do Conselho Comunitário do Bom Pastor, João Maria Silvino de Assis, os moradores consideram um descaso tudo o que está acontecendo porque em nenhum momento o Governo do Estado procurou saber como pensa a comunidade.

“Cerca de 30 mil pessoas moram no bairro, mas, apenas, uma escola de ensino infantil funciona. Ou seja, temos muitas carências sociais, enquanto isso o Governo oferece um CDP”, protestou João Silvino, que emendou: “A luta da população do Bom Pastor não vai parar e contamos com a colaboração da Câmara Municipal, da Assembleia Legislativa do RN e da imprensa para impedir a instalação dessa unidade prisional”.

Os vereadores Marcos Antônio (PSOL), Júlia Arruda (PSB), George Câmara (PC do B) e Adão Eridan (PR) também participaram da audiência.

Compartilhar:
    Publicidade