Câncer atingirá 300 mil homens em 2014, exames e tratamentos mais eficazes

Inca divulgou as estimativas dos novos casos da doença entre os brasileiros no próximo ano. Saiba quais são os cinco mais comuns, os exames que podem ser feitos para diagnosticar o câncer precocemente e como se proteger mudando alguns hábitos

Mudança de hábitos podem proteger do câncer. Foto:Divulgação
Mudança de hábitos podem proteger do câncer. Foto:Divulgação

Há pouco menos de um ano, Ian McKellen, conhecido por seus papéis como Gandalf em “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” e Magneto na franquia dos “X-Men”, revelou ter câncer de próstata. O ator de 73 anos é um exemplo distante de uma doença que pode bater na sua porta e que deve bater na de quase 69 mil brasileiros em 2014, de acordo com dados divulgados na última semana pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O Inca espera 576.580 novos casos de câncer entre os brasileiros para o ano que vem, e os homens são maioria, respondendo por 302.350 (52,4%) deles. Mais populosa, a região Sudeste concentra o maior número de ocorrências para 2014, com quase 157 mil, seguido do Sul (66 mil) e do Nordeste (47 mil). Quando o câncer de pele não melanoma – saiba mais sobre a doença aqui – não é considerado, o de próstata lidera nas cinco regiões do País.

Com exceção do câncer de pele não melanoma, os cinco casos mais esperados em 2014 são: próstata, traqueia, brônquios e pulmão, cólon e reto, estômago e cavidade oral. “A maioria desses tumores tem como fatores de risco a ingestão de álcool, o tabagismo e a má alimentação”, explica Felipe Roitberg, oncologista do Icesp.

“Uma vida saudável, longe do cigarro, com atividade física regular e avaliações médicas periódicas, principalmente depois dos 50 anos, pode prevenir ou ao menos diagnosticar precocemente os tumores mais prevalentes nos homens brasileiros”, completa Vinicius Vasquez, diretor clínico do Hospital de Câncer de Barretos, no interior de São Paulo.

CÂNCER DE PRÓSTATA: 68,8 mil novos casos em 2014

Exames preventivos: toque retal e o exame de sangue PSA (Prostate Specific Antigen). “O PSA é um marcador. Existe uma relação entre o valor dele e a chance de você ter a doença: quanto maior o PSA, maior a chance de ter. Acima de 4 é anormal”, diz Fábio Ortega, urologista do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). Já o toque retal – e não adianta inventar desculpas para evitá-lo – também é importante. “Ao tocar o urologista percebe se há ou não um tumor”, afirma. Após o diagnóstico por meio da biópsia, uma segunda fase vai determinar a categoria do tumor: localizado (dentro da próstata), localmente avançado (saindo da próstata) e avançado (em processo de metástase).

Com que idade você deve fazê-los: a partir dos 50 anos, mas pacientes que têm ou tiveram parentes de primeiro grau com a doença devem realizar os exames cinco anos antes. De acordo com Ortega, a idade mínima indicada subiu por conta do alto número de homens que fazem o rastreamento e o baixo número de diagnósticos.

A doença costuma aparecer em homens de que idade: a partir dos 50 anos. Caso o paciente tenha antecedentes familiares, a partir dos 45 anos.

O que pode acelerar o surgimento da doença: pessoas que fazem reposição de hormônios podem ter uma precipitação da doença, alerta o urologista. Outro fator defendido por uma linha de pensamento, mas não comprovado, é a alimentação. “A incidência no Japão é 13 vezes menor que nos EUA. Acredita-se que isso esteja relacionado à dieta. A oriental tem pouca gordura animal, ao contrário da norte-americana”, explica.

Principais sintomas: dificuldade de urinar, acordar mais vezes à noite e redução do jato urinário. Ortega pede, no entanto, que os homens não se consultem apenas quando tem sintomas. “Tem que ir ao médico independentemente dos sintomas. Não há nada que você possa fazer para evitar, mas os exames servem para detectar precocemente. Isso muda tudo. Se descobrir a doença na fase inicial, sua chance de cura é em torno de 90%.”

CÂNCER DE TRAQUEIA, BRÔNQUIOS E PULMÃO: 16,4 mil novos casos em 2014

Exames preventivos: a melhor forma de prevenir é evitar o tabagismo, de acordo com Felipe. “É importante frisar que não existe uma carga tabágica segura. As pessoas dizem que estão reduzindo o número de cigarros por dia, mas não adianta reduzir, tem que parar mesmo”, diz. Ele afirma ainda que exames de rastreamento ainda não estão bem definidos e estabelecidos.

Com que idade você deve fazê-los: quem não fuma, não deve começar.

A doença costuma aparecer em homens de que idade: prevalece mais em pacientes mais idosos, a partir dos 60 anos, por conta da exposição ao cigarro. “O tumor demora anos, décadas para se desenvolver, mas a gente tem visto com frequência em homens mais jovens”, conta Roitberg.

O que pode acelerar o surgimento da doença: tabagismo. Fatores como herança genética, exposição ao arsênio, fibras de amianto e poluição também influenciam, mas com muito menos frequência, de forma “quase que desprezível”.

Principais sintomas: tosse, cansaço, astenia, perda ponderal. “A tosse piora, não cede e parece uma infecção. A pessoa acha que é uma pneumonia, mas no final das contas era um tumor que vinha crescendo. Quando os sintomas surgem, são bem tardios”, afirma o oncologista.

CÂNCER DE CÓLON E RETO: 15,07 mil novos casos em 2014

Exames preventivos: pesquisa de sangue oculto nas fezes uma vez por ano ou uma colonoscopia a cada dez anos também é suficiente, sugere Roitberg. O tumor demora entre cinco e dez anos para evoluir de uma forma pré-maligna até o câncer. A ideia do rastreamento é detectar em fase pré-maligna.

Com que idade você deve fazê-los: a partir dos 50 anos.

A doença costuma aparecer em homens de que idade: entre 50 e 60 anos de idade. “Se a pessoa possuir um histórico de câncer de intestino ou gástrico na família é importante procurar um médico. Talvez seja preciso fazer uma colonoscopia anual. Ao contrário do câncer de pulmão, neste caso há uma tendência do fator hereditário exercer uma maior influência.”

O que pode acelerar o surgimento da doença: há uma relação com fatores de risco como a dieta. “Pessoas que comem carnes vermelhas em excesso e poucas fibras; o cigarro também está relacionado”, diz Felipe. “A gente não defende que a pessoa fique sem carne vermelha, o que propomos é o equilíbrio, comer verduras, frutas”, completa.

Principais sintomas: alterações do hábito intestinal, como diarreias e intestino preso. Com menor frequência, sangramento nas fezes e cansaço “porque a pessoa tem microsangramentos e aos poucos uma anemia”. O cansaço pode chamar atenção nesses casos, informa o especialista do Icesp.

CÂNCER DE ESTÔMAGO: 12,8 mil novos casos em 2014

Exames preventivos: em casos específicos, pacientes com histórico familiar deveriam passar por uma endoscopia, mas são casos selecionados. A orientação é fazer uma endoscopia digestiva alta, que não dói, é simples e feita com o paciente sedado.

Com que idade você deve fazê-los: não existe uma orientação neste sentido, de acordo com Felipe. “O que nós orientamos é fazer uma avaliação individual, tomar cuidado com alimentação, consumir frutas, verduras e fibras.”

A doença costuma aparecer em homens de que idade: é variado, mas em média a partir dos 50, 60 anos. É na sexta década de vida que costuma surgir, apesar de pacientes mais jovens, muitos com o fator hereditário associado, serem diagnosticados com câncer no estômago.

O que pode acelerar o surgimento da doença: álcool, cigarro, excesso de alimentos defumados, enlatados ou conservados em sal.

Principais sintomas: perda de peso e de apetite, cansaço secundário, desconforto abdominal. Eventualmente são sintomas parecidos com o de uma gastrite, úlcera, mas persistem mesmo após o tratamento.

CÂNCER DE CAVIDADE ORAL: 11,2 mil novos casos em 2014

Exames preventivos: não tem nada que detecte de forma precoce, você precisa ficar atento às feridas e nódulos na região da boca que não melhoram e tendem a crescer. Neste caso, procure um médico, um otorrinolaringologista para uma avaliação, pede Roitberg.

Com que idade você deve fazê-los: não há uma idade exata.

A doença costuma aparecer em homens de que idade: nos casos em que está relacionado ao vírus HPV pode aparecer precocemente, por volta dos 30 a 40 anos, mas em geral oscila na faixa entre 50 e 60 anos de idade.

O que pode acelerar o surgimento da doença: o fator de risco mais relacionado é o etilismo e o cigarro, afirma o oncologista. “Pense no quanto você ganha, imagina que seu chefe vai aumentar seu salário em 20, 40 vezes e faz as contas. É isso que o álcool e o tabagismo fazem com as chances de você ter um câncer. É maior exemplo que dou.”

Principais sintomas: feridas e caroços que não melhoram com tratamento, rouquidão, mudanças no tom da voz, dificuldade para engolir.

EXPECTATIVA DE VIDA

Maioria nas estimativas de novos casos de câncer em 2014, os homens brasileiros tiveram um leve crescimento na expectativa de vida, segundo informações divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A ala masculina, cuja média de tempo de vida em 2011 era de 70 anos e seis meses, espera viver agora até os 71 anos de idade, enquanto as mulheres chegam, em média, aos 78,3 anos, seis anos e 25 dias a mais que em 2011.

Fonte:IG

Compartilhar: