Candidato ao governo do Ceará se assume e exibe beijo gay em campanha

“Eu sou gay e sei como foi difícil me aceitar, me assumir. "

O candidato no programa eleitoral exibido na sexta-feira, no Ceará. Foto: Divulgação
O candidato no programa eleitoral exibido na sexta-feira, no Ceará. Foto: Divulgação

Enquanto a candidata à Presidência Marina Silva (PSB) recua do apoio ao casamento gay, um candidato a governador não apenas se declara a favor, como assume ser homossexual e exibe beijos entre dois homens e duas mulheres na propaganda eleitoral na TV.

E isso aconteceu no Nordeste, onde não há uma postura liberal e um ativismo tão ostensivo em relação ao tema, como acontece no eixo Rio-São Paulo.

No programa exibido na sexta-feira (30), Aílton Lopes, postulante do PSOL ao governo do Ceará, fez até este momento das eleições 2014 a exposição pessoal mais contundente em relação à política LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros).

“Eu sou gay e sei como foi difícil me aceitar, me assumir. Enfrentei o medo da rejeição. A desconfiança se eu era normal. O medo de ser alvo de piadas”, declarou o sindicalista, de 36 anos, que está em quarto lugar nas pesquisas, com 4% das intenções de voto.

Entre as propostas apresentadas por ele está o direito ao casamento civil, a adoção por casais gays, o nome social (adotado por travestis e transexuais) e educação plural (sem distinção entre gêneros e condições sexuais).

Antes da fala de Ailton Lopes, o programa do PSOL exibiu cenas que retratam a quebra de tabus e a diversidade sexual. Um casal de namorados no qual o rapaz veste saia longa e a moça usa calça. Um cabeleireiro que se transforma em drag queen. O beijo de um casal de lésbicas e um beijo entre dois rapazes.

Cena de beijo gay no programa eleitoral do PSOL cearense. Foto: Divulgação
Cena de beijo gay no programa eleitoral do PSOL cearense. Foto: Divulgação

No YouTube, o vídeo desta edição do programa de Ailton Lopes teve, até a manhã desta segunda-feira (1), 44 mil acessos.

No espaço de comentários do portal, a maioria das manifestações foi contrária à política pró-gays adotada pelo candidato. Algumas opiniões:

“As famílias normais e a sociedade decente nunca irão aceitar como normal uma aberração da natureza.”

“Ainda bem que tenho TV por assinatura e a minha família não precisa ver isso.”

“Tantas pessoas passando fome, saúde precária, e vocês se preocupando com a sexualidade de vocês.”

“Essa propaganda é uma comédia, piada, lixo eleitoral.”

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade