Carnatal estreia de casa nova e alegria renovada para milhares de foliões

Bell Marques deu início a sua última apresentação no Carnatal como vocalista do Chiclete com Banana

Cerca de 300 policiais militares  trabalharam na primeira noite do evento.  Dentre as ocorrências, apenas um  jovem foi preso com 27 frascos de loló  e três motoristas presos em flagrante  por dirigir sob efeito de álcool. Foto: José Aldenir
Cerca de 300 policiais militares
trabalharam na primeira noite do evento.
Dentre as ocorrências, apenas um
jovem foi preso com 27 frascos de loló
e três motoristas presos em flagrante
por dirigir sob efeito de álcool. Foto: José Aldenir

Fernanda Souza
fernandasouzajh@gmail.com

Incertezas quanto à viabilidade do novo local de realização da micareta e dúvidas em fazer parte ou não da folia fizeram parte da rotina dos foliões da edição 2013 do Carnatal, desde o anúncio da mudança para o Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. Mas ontem (5), primeiro dia do evento, os admiradores do mais tradicional carnaval fora de época do país mostraram que mesmo com tantas alterações no formato original, a festa não perdeu o seu prestígio. Milhares de pessoas participaram da folia, cuja abertura dos portões, marcada para às 18h, atrasou três horas e meia, causando o protesto de um grupo de foliões.

A banda Grafith, que estreou pela primeira vez com bloco próprio, entrou na avenida com mais de 40 minutos de atraso, e iniciou o percurso no corredor da folia por volta das 22h com a animação já conhecida pelos fãs.  Na Arena 51, a programação começou logo após às 21h30, com o Grupo Daquele Jeito animando o espaço. Um pouco depois das 23h, Bell Marques deu início a sua última apresentação no Carnatal como vocalista do Chiclete com Banana, arrastando centenas de foliões no Corredor da Folia.

Alcides Brandão, natural de Alagoas, participa do Carnatal há três anos e elogiou a segurança do evento. “A mudança de local privilegiou a segurança, mas por outro lado perdemos no aspecto do contato com o povo, com a pipoca. Mas posso afirmar que o corredor da folia ainda arrepia”.

Polícia precisou intervir em algumas situações de conflito. Foto: Divulgação
Polícia precisou intervir em algumas situações de conflito. Foto: Divulgação

Já a dona de casa Francenilda da Silva contou que não se arrependeu em apostar na festa. “Vim de Jucurutu e estou aqui pela primeira vez. Gostei da Arena 51, da banda e ainda posso ver os trios de perto”.

Um das atrações do Carnatal foi o Camarote Skol, já conhecido por ser um dos locais que reúne uma estrutura diferenciada e atrações musicais nacionais. “Aqui é um local amplo, com boa visibilidade e muita gente bonita, além de oferecer tudo ao folião”, destacou Michargan Faraday.

 

ATRASOS

O farmacêutico Paulo Henrique, que veio de João Pessoa para pular no Nana Banana, lamentou o ocorrido. “Isso [o atraso] é um desrespeito com o folião. Acreditamos no Carnatal, mesmo que não seja no mesmo nível do anterior, mas estamos aqui sem sequer saber o que está acontecendo”.

De acordo com o tenente coronel Luiz Monteiro, chefe do serviço técnico de engenharia do Corpo de Bombeiros, foram necessárias readequações ao projeto de segurança. “Tivemos alguns problemas, como o aterramento da estrutura metálica na Praça de Alimentação, fiação inadequada e saídas de emergências com problemas no dimensionamento e houve a necessidade de isolamento de áreas. Demoramos a liberar o acesso ao evento porque o projeto não havia sido executado dentro do que foi aprovado. Para qualquer evento, recomendamos o prazo para a entrega do projeto de cinco dias de antecedência para que não haja imprevistos. Este projeto nos foi entregue em cima da hora”, declarou.

 

Polícia registra poucas ocorrências nessa primeira noite de Carnatal

Segundo a promotora do Meio Ambiente de Parnamirim, Kariny Fonseca, ficaram pendências para esta sexta-feira (6), mas que não comprometem a segurança do evento.  “Houve algumas falhas, mas é melhor retardar o início, do que colocar em risco o nosso folião”, frisou Gustavo Carvalho, diretor da Destaque Promoções.

Do lado de fora, a expectativa era grande para o início da festa. O bailarino Tony Ravache se destacou como o mais animado de um grupo de fãs do Grafith. “A banda faz parte da minha história e estou muito feliz em estar aqui. Acho que a mudança do local foi positiva na questão da segurança dos foliões porque vamos ter até mais privacidade para brincar”.

O vendedor de abadás Fernando de Medeiros trabalha há 20 anos neste segmento percorrendo as micaretas do país. “Hoje é o termômetro. Quem gostar vai vir nos outros dias. Investi R$ 800 em abadás do Grafith, mas não acredito que vou lucrar e se for preciso baixo o preço”.

A vendedora de bebidas Marinalva Lima não aprovou o novo local e temia por prejuízos. “Trabalho no Carnatal desde a época que era no centro de Natal. Foi péssima essa mudança porque agora é tudo privado. Muita gente sobrevive da festa e vem até de longe. Hoje deve ser um dia fraco, mas quem sabe até sábado não melhora”, questionou.

Já Maria Gorete, que vende churrasquinhos, deseja bater a meta estipulada para os três dias de festa. “Estou esperando que sejam como em Natal e que todo mundo brinque sem confusão e sem violência. Quero vender de 100 a 150 churrasquinhos por dia”.

A programação desta sexta-feira (6) começa às 19h, com a banda Novo Grito agitando os foliões da Arena 51. Leo Santana e Parangolé também farão a festa no espaço. Às 21h sobe no trio o Asa de Águia puxando o bloco Coco Bambu, que terá a participação especial de Ivete Sangalo. Às 21h30, o Nana Banana, com o Chiclete com Banana, entra no circuito, seguido do Caju, que tem à frente a cantora Claudinha Leite.  A abertura dos portões está prevista para às 18h.

Alguns mais exaltados precisaram ser contidos pelos seguranças. Foto: Divulgação
Alguns mais exaltados precisaram ser contidos pelos seguranças. Foto: Divulgação

Dentro da festa, mais de 250 seguranças privados garantiam a tranquilidade dos foliões para usufruirem da festa. Segundo o tenente coronel da Polícia Militar, Alarico Azevedo, subcomandante do Policiamento Metropolitano, foram destacados 300 policiais militares entre Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), Cavalaria e Policiamento Motorizado dentro e fora do Parque.

“Ainda há o apoio da Polícia Rodoviária Estadual, Companhia Ambiental de Parnamirim junto com a Secretaria do Meio Ambiente. Também por ser um evento com consumo de bebida alcoólica temos a preocupação com a circulação de pessoas próximo à BR. Vão ser realizados testes de bafômetro e orientamos os foliões a virem de táxi ou de carona se forem ingerir bebida alcoólica. Dentro do evento, temos equipes em torres de observação e patrulhas em locais estratégicos”, afirmou tenente coronel Alarico Azevedo.

Logo após a abertura dos portões foi registrada a primeira ocorrência policial da noite na delegacia de plantão montada dentro do Parque. Um jovem de 19 anos foi preso com 27 frascos de “loló” escondidos em uma mochila. “Ele alega que a ex-namorada pediu para entrar com o material e disse que achava que era bebida. Acreditamos que ele mesmo ia comercializar as substâncias entorpecentes. Apesar da festa ser em um local fechado, esperamos de tudo”, disse o delegado Roberto Andrade.

A segunda ocorrência da noite foi um caso de furto, registrado ainda na fila para a entrada do evento. O cearense Matheus Fernandes teve a quantia de R$ 200 subtraída e procurou a delegacia para o registro de um Boletim de Ocorrência.

Três motoristas foram presos em flagrante por dirigirem embriagados após o primeiro dia de Carnatal, conforme dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que aplicou 175 testes de bafômetros no entorno do Parque Aristófanes Fernandes. Destes, 31 foram autuados por ingestão de bebidas alcoólicas e um foi encaminhado para a Delegacia de Plantão por posse de entorpecentes.

Segundo o chefe da Comunicação Social da PRF, inspetor Roberto Cabral, as fiscalizações de hoje serão intensificadas com o reforço no número de policiais de plantão. “Como é sexta-feira e início de final de semana, a blitz será mais rigorosa que ontem. Recebemos reforço policial extra de outro três estados, para coibir o uso de álcool pelos motoristas e assim, evitar acidentes”, afirmou.

A juíza da Vara da Infância e Juventude de Parnamirim, Ilana Rosado, acompanhou de perto o trabalho de fiscalização na festa. “Estamos com uma equipe de 50 pessoas por dia entre agentes judiciários de proteção e assistentes sociais. Já houve o registro de duas crianças perdidas. Orientamos que sejam respeitadas as faixa etárias para que não haja contratempos. Menores de 18 anos não podem consumir bebida alcoólica e o bar que vender será autuado”.

Compartilhar: