Carrasco do Brasil na Copa de 1966, português Eusébio morre em Lisboa

Ex-atacante foi vítima de parada cardiorrespiratória e morreu aos 71 anos de idade

Eusébio, ex-atacante de Portugal. Foto:Divulgação
Eusébio, ex-atacante de Portugal. Foto:Divulgação

O ex-atacante português Eusébio, considerado um dos maiores jogadores da história do futebol, morreu na madrugada de sábado para domingo na cidade de Lisboa, vítima de uma parada cardiorrespiratória. O “Pantera Negra” tinha 71 anos de idade.

Nascido em Maputo, no Moçambique, o embaixador do futebol de Portugal pelo mundo já vinha dando sinais de saúde debilitada desde 2012, quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e ficou internado por algum tempo.

Conhecido nos campos pela sua velocidade, técnica e chute poderoso, Eusébio fez quase toda sua carreira no Benfica, onde atuou por 15 anos. Pela seleção portuguesa, o atleta levou o time ao 3º lugar da Copa do Mundo de 1966. Naquele Mundial, o atacante fez dois gols na vitória sobre o Brasil, por 3 a 1, placar que eliminou a equipe de Pelé da competição.

Com a camisa do Benfica, Eusébio ganhou 11 Campeonatos Nacionais, 5 Taças de Portugal e 1 Liga dos Campeões da Europa. Além disso, o ex-jogador ganhou a Bola de Prata sete vezes (recorde nacional) em 1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1970 e 1973. Foi o primeiro jogador a ganhar a Chuteira de Ouro, em 1968, façanha que repetiu em 1973.

Eusébio recebeu várias gratificações nacionais e estrangeiras ao longo da vida, entre elas os colares de Mérito Desportivo (1981) e de Honra ao Mérito Desportivo (1990), além da “Águia de Ouro”, a mais alta premiação do Benfica, em 1982.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade