Carro é furtado duas vezes em 25 dias e dono prefere vê-lo incendiado

Depois de ter sido localizado em Campinas após 1ª ocorrência, veículo de Lucas Castro foi levado novamente anteontem

6U67I76I76I6I6I6I

O velho ditado “um raio não cai duas vezes no mesmo lugar” não se encaixa na vida do contador americanense Lucas de Oliveira Castro, 22 anos. Pelo menos em se tratando de seu veículo, um Fiat Palio que, nos últimos 25 dias, foi furtado duas vezes na Vila Santa Catarina, em Americana, município com o maior incidência desse tipo de crime na RPT (Região do Polo Têxtil).

O furto mais recente ocorreu na noite de anteontem, na Rua Domingos Sávio, nas proximidades da Igreja Dom Bosco. O primeiro furto ocorreu no dia 19 do mês passado, na Rua Dom Bosco, mas o carro foi encontrado três dias depois, na Vila União, periferia de Campinas.

Castro conta que teve que mandar o veículo para oficina, onde ficou durante 15 dias e o gasto foi de cerca de R$ 1,2 mil, já que várias peças foram retiradas. Depois de pouco mais de uma semana nas ruas, o Palio foi novamente parar nas mãos de ladrões. “Resumindo, eu não tive nem a ‘sorte’ de alguém ir lá e fazer um roubo em cima do roubo. Poderiam ter roubado de novo ou tacado (sic) fogo e me poupado desse prejuízo”, desabafou o contador.

Dessa vez, Castro ressaltou que está torcendo para que o carro não seja encontrado e ele possa ser restituído pelo seguro. Anteontem, o contador tinha estacionado o carro por volta das 21h30 para participar de uma reunião da comunidade da paróquia Dom Bosco e, ao voltar para pegar um pen-drive que havia esquecido dentro do veículo, constatou que havia sido vítima novamente do mesmo crime.

No Sábado de Aleluia, dia 19 de abril, a mesma cena foi vivenciada por Castro. Ele tinha ido a uma reunião da paróquia e, ao retornar, por volta de 9h30, não encontrou mais seu carro. No dia 22, o carro foi localizado por volta de meio-dia pela Polícia Militar, em Campinas, sem o estepe, macaco hidráulico, chave de roda, triângulo, extintor, com a porta amassada e um módulo de ignição no contato das chaves. Mas o veículo só foi retirado do local 12 horas depois.

Segundo a vítima, a PM alegou que os pátios de Campinas estariam lotados. “Depois de muito bate e volta, a seguradora mandou um guincho. Quando chegaram lá, tinha gente dentro, chamaram a polícia, mas achamos melhor não fazer outro boletim de ocorrência e trazê-lo para Americana”, explicou. Na mesma noite em que o Palio de Castro “desapareceu”, anteontem, outros cinco veículos também foram furtados em Americana. Somente nos três primeiros meses deste ano, foram 330 casos em Americana, mais de 100 casos a mais que Sumaré, segundo nesse ranking, com 225 registros entre janeiro e março. Os números de abril somente serão divulgados pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) no próximo dia 25.

 

Fonte: O Liberal

Compartilhar:
    Publicidade