Carro elétrico brasileiro poderia custar no máximo R$ 20 mil

Inventor do veículo disse que gastou R$ 40 mil na fabricação, mas que o valor cairia pela metade se tivesse sido construído em uma linha de produção

rslajeadocarroestacionadodiv2O aposentado João Alfredo Dresch, criador do JAD, primeiro carro elétrico brasileiro, afirmou durante o programa Mais Você, da TV Globo, que o veículo custaria no máximo R$ 20 mil. Dresch disse que gastou cerca de R$ 40 mil para fabricar seu veículo elétrico, mas que o valor cairia pelo menos pela metade se tivesse sido construído em uma linha de produção.

O inventar já havia afirmado que há diversos grupos interessados na fabricação em série do carro.

O JAD mede 1,95 metro de comprimento, 1,05 metro de largura e 1,20 metro de altura, sendo bem menor que um veículo convencional. O carro tem capacidade para duas pessoas e, segundo Dresch, roda cerca de 100 quilômetros com uma carga de duas horas.

O JAD foi todo idealizado e construído pelo advogado, que levou 11 meses e meio para finalizar o projeto, em 2010. Há sete meses, ele conseguiu autorização do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para emplacar e circular com o carro.

No início de abril, o aposentado foi multado por estacionamento irregular em uma rua de Lajeado, no interior do Rio Grande do Sul. A penalidade se deu porque Dresch parou o veículo no sentido oblíquo, como se fosse uma moto.

Segundo o coordenador do Departamento de Trânsito da cidade, Euclides Rodrigues, o veículo, embora tenha dimensões menores que as de uma moto, estava estacionado de forma irregular. “O Código de Trânsito Brasileiro não prevê nenhum tipo de possibilidade de estacionar daquela forma. Se o fiscal não tivesse autuado, ele teria prevaricado”, afirmou.

O aposentado foi multado em R$ 85,13 por estacionar em desacordo com as normas estabelecidas no Código de Trânsito Brasileiro, o que é considerado uma infração média.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade