Casa do Bem promove festa natalina para apresentar resultados anual

A Casa do Bem virou referência com sua oferta de atividades culturais, esportivas, sociais, educacionais e de lazer

Evento terá a exibição do balé da parceira Mystery Academia de Dança e apresentações culturais diversas. Foto: Caninde Soares
Evento terá a exibição do balé da parceira Mystery Academia de Dança e apresentações culturais diversas. Foto: Caninde Soares

Mais do que uma noite para encerrar as atividades em 2013, o evento de Natal promovido pela Casa do Bem na próxima quarta-feira (11), a partir das 18h, no Vila Hall do Hotel Vila do Mar, na Via Costeira, tem como objetivo melhorar a relação entre pais e filhos que utilizam as mais de trinta ações comunitárias oferecidas pela instituição filantrópica que atua no bairro de Mãe Luiza. Em parceira com Mystery Academia de Dança, e com apresentações culturais diversas, uma grande produção é anunciada por seu fundador e presidente, jornalista e escritor Flávio Rezende. Ônibus e micro-ônibus farão várias viagens, nas horas que antecedem a festa, entre a sede da Casa e o hotel com moradores e interessados.

“É a união de dois eventos, o nosso Natal e o Diga Sim ao Bem, em que termos a coisa toda com Papai Noel e distribuição de brinquedos, não para todo mundo, porque tem gente demais [são mais de duas mil crianças e adolescentes assistidos], mas como uma coisa simbólica. A ideia é mostrar aos pais o que eles aprenderam durante o ano na parte cultural que a Casa oferece”, diz Flávio que relembra a conversa que teve com o diretor da academia Mystery, então em vias de fechar as portas, diante da violência nas imediações do antigo endereço da companhia de balé. “Mães começaram a tirar seus filhos, até que sentamos e decidimos que eles viriam para a Casa. Não podíamos deixá-la acabar”.

Montada na rua João XXIII, 1719, já próxima a Via Costeira, a Casa do Bem virou referência em um dos bairros mais violentos de Natal, com sua oferta de atividades culturais, esportivas, sociais, educacionais e de lazer. Em frequente dificuldade financeira, “no momento temos R$4 mil em conta, o que é um valor irrisório para manter uma entidade como a nossa”, ela tem apoio de empresas privadas e da Prefeitura de Natal, que ajuda no pagamento das contas básicas, como água, luz e telefone. No entanto, um convênio assinado com o Governo do Estado para a aquisição de uma Kombi nova está engavetado há meses, ainda que tenha sido assinado pelo antigo secretário estadual de Trabalho e Ação Social, Luis Eduardo Carneiro.

“Está lá assinado e perdido na burocracia do Estado. Temos uma Kombi que serve a todo o bairro, não só a casa, mas ela está cheia de problemas. Gastamos recentemente mais de R$2 mil para consertar caixa de marcha e outras coisas. Temos muito que comemorar neste ano, pois mesmo com toda a dificuldade financeira já conhecida, não deixamos de fazer nada por dinheiro. Essa foi nossa grande vitória. Por isso o evento de quarta-feira é gratificante. Quando os pais veem seus filhos no palco, com uma estrutura grandiosa, eles sentem um orgulho dos filhos, veem que eles são alguém. Isso ajuda a melhorar a relação cotidiana deles”.

 

Black Sunday
Vasco e Fluminense juntos na segunda divisão. Inacreditável, mas aconteceu. O pior dos cenários para o futebol carioca e, consequentemente, para muita gente Brasil afora. Assim que terminou a rodada, recebi uma mensagem de meu amigo Fabiano Levis, tricolor desde que abandonou as fraldas, suspirando que ainda bem que tinha a Copa para esquecer o tormento do ano que vem. Ele pediu ingresso para nove partidas e só foi sorteado em apenas uma: exatamente Itália x Uruguai, na Arena das Dunas. Não está nem aí para o Fluminense.

Black Sunday – II
No começo da noite ouviam-se fogos de artifício estourados em comemoração ao fracasso dos dois gigantes do Rio. O Vasco foi humilhado até no último momento. A imagem da briga entre as torcidas, os 5×1 impostos pelo Atlético-PR e Eurico Miranda reaparecendo para analisar a gestão Dinamite são o retrato da falência de um clube que faz tudo para virar mediano, com tanto rebaixamento no currículo. Faz tempo que o meio boleiro encara jogar no Vasco como um plano C, D, como se fosse uma Portuguesa.

Black Sunday – III
O quebra-quebra da partida correu o mundo. Na Espanha eles alertaram para o fato de que Joinville/SC está bem próxima de Curitiba, local do terceiro jogo da Fúria na primeira fase, contra a Austrália. Na Inglaterra, depois de um domingo com matérias em que Manaus, a cidade temida por todos os europeus e que abrigará o English Team contra a Itália, foi chamada de Manaus Homicida, a briga na primeira divisão brasileira serviu para reforçar a certeza de que nós não temos condições de sediar Copa alguma.

Black Sunday – IV
Mudou a desconfiança oficial: sai o ‘imagine na Copa’, entra ‘tomara que estejamos vivos na Copa’. O assassinato brutal e banal de um executivo canadense em São Paulo (o bandido teria dito, minutos antes, que estava doido para dar um tiro em alguém) foi a cereja no bolo de lixo que governos estaduais e Federal insistem em nos oferecer. Não tem Fernanda Lima nem Costa do Sauípe que dê jeito. Nunca na história deste país passaremos uma vergonha tão grande, como no ano que vem.

Blog
Em meu blog no site do jornal (www.jornaldehoje.com.br), postei breves comentários sobre o sorteio dos grupos da Copa 2014. O calor tropical contra a Alemanha, o medo da imprensa argentina e espanhola de cruzar com o Brasil e um vídeo bacana (Jogo Bendito) com o Papa Francisco abençoando Messi e Cia. são os destaques. Tem também um texto sobre os 45 anos de um dos clássicos do folk-rock, Astral Weeks, de Van Morrison, e outro sobre a manipulação da final da liga americana de beisebol de 1951, em que um mafioso amigo de Frank Sinatra foi morto, chocado os Estados Unidos.

Cidade rockabilly
Enviken na Suécia parece um lugar que parou no tempo. Precisamente na década de 1950. Com carros antigos nas ruas e pessoas adornadas com casacos de couro, rabos de cavalo, topetes, vestidos de bolinhas e outras referências dos anos dourados, o vilarejo de menos de dois mil habitantes foi na onda de uma banda do gênero que fez muito sucesso anos 1980, a ponto de influenciar na estética de toda a cidade.

Cinépolis
A rede de cinema líder na indústria do entretenimento no México e na América Latina anuncia que acabou de concluir a digitalização de suas salas no Brasil, e que alcançou o objetivo de ser 100% digital na América Latina, depois de um investimento superior a R$300 milhões de dólares. Atualmente, existem 3.215 salas da Cinépolis no mundo que já estão digitalizadas. A última etapa foi a de completar a digitalização nas 136 salas no Brasil. Além disso, Cinépolis também tem 100% de seus assentos numerados, o que ajuda os clientes a escolher o seu lugar preferido.

Compartilhar: