Casal americano acusado de matar filha adotiva de fome espera veredicto

Pais queriam traficar os órgãos da criança, de apenas oito anos

Grace e Matthew posam para foto com os outros dois filhos do casal. Foto: Reprodução/The New York Times
Grace e Matthew posam para foto com os outros dois filhos do casal. Foto: Reprodução/The New York Times

Um casal americano acusado de matar de fome sua filha adotiva para traficar seus órgãos deverá permanecer no Catar à espera do veredicto, previsto para o dia 27 de março, informou nesta quarta-feira uma fonte judicial.

O tribunal do Catar rejeitou o pedido de Matthew e Grace Huang, americanos de origem asiática e residentes no Catar desde 2012 por motivos trabalhistas, de retornar aos Estados Unidos para se reunir com seus outros dois filhos.

Os acusados, detidos pela morte em janeiro de 2013 de sua filha adotiva Gloria, de oito anos, foram colocados em liberdade em novembro. No entanto, não podem deixar o país.

A justiça do Catar acusa o casal de matar de fome sua filha para traficar seus órgãos.

Os acusados, que defendem sua inocência, dizem que a menor, adotada em 2009, tinha problemas de alimentação.

O procurador geral exige a pena de morte, embora não tenham ocorrido execuções no Catar nos últimos anos, segundo a defesa.

“Perdemos a nossa filha (…) e este tribunal nos roubou um ano de nossas vidas. Somos inocentes, nos sentimos como se tivessem nos sequestrado. Só queremos voltar para casa”, declarou Matthew Huang aos jornalistas após a audiência.

A menor, que vivia em um orfanato de Gana, tinha problemas de alimentação devido à “situação de pobreza extrema que vivenciou durante sua infância”, segundo um site de partidários do casal.

Os outros dois filhos do casal, também adotados e de origem africana, obtiveram em outubro autorização para viajar aos Estados Unidos junto com a avó.

 

Fonte: AFP / R7

Compartilhar: