Caso sobreviva, Michael Schumacher pode perder os movimentos

Traumatismo craniano pode deixar sequelas graves no ex-piloto

Ex-piloto de F-1 segue em coma induzido  no hospital de Grenoble, na França. Foto: Divulgação
Ex-piloto de F-1 segue em coma induzido
no hospital de Grenoble, na França. Foto: Divulgação

Ainda em coma induzido, o heptacampeão mundial de F-1, Michael Schumacher, pode sofrer graves sequelas caso sobreviva ao traumatismo craniano após queda de esquei. O ex-piloto francês de Fórmula 1, Philippe Streiff, esteve no Hospital Universitário de Grenoble ontem para visitar o amigo alemão, e disse aos meios de comunicação, que conversou com o médico e amigo de Schumacher Gérard Saillant, que respondeu que “não sabe se o piloto irá sobreviver”.

Conforme Streiff, todos os dias são realizadas tomografias na cabeça de Schumacher para observar se os edemas causados pelo impacto estão diminuindo. Ele disse ainda que, se os edemas persistirem, o heptacampeão mundial de F-1 pode ter sequelas graves, como ficar totalmente paralisado ou perder a capacidade da fala. A equipe médica que cuida de Schumacher não dá entrevistas nem divulga boletins desde a última terça-feira. Após o acidente do domingo, o ex-piloto alemão já foi submetido a duas cirurgias neurológicas e permanece em coma induzido. Não há informações se ele ainda corre risco de morte.

A polícia francesa interrogou o filho de Schumacher, que estava presente no local do acidente de esqui. Mick, de 14 anos, prestou depoimento no hospital universitário de Grenoble, disse a emissora, que acrescentou que os agentes também interrogaram a namorada do adolescente e um mordomo da família.

Segundo a mesma fonte, a família entregou aos investigadores a câmera que estava no capacete do campeão de Fórmula 1 quando caiu e se chocou contra uma rocha fora da pista da estação de Méribel, nos Alpes franceses. O capacete se rompeu por conta do impacto e a câmera estava em mãos da família do acidentado, que resolveu entregá-la para polícia.

Compartilhar: