Ceará tem o Carnaval mais violento dos últimos anos com 70 homicídios

Região Metropolitana de Fortaleza teve 24 homicídios à bala, diz secretaria. Homicídios foram contabilizados de sexta (28) a noite desta terça-feira (4).

O dia mais violento foi o domingo, quando 11 ocorrências foram registradas na Grande Fortaleza. Foto: Divulgação
O dia mais violento foi o domingo, quando 11 ocorrências foram registradas na Grande Fortaleza. Foto: Divulgação

Durante o feriadão de Carnaval, 70 pessoas foram assassinadas no Ceará, uma média de 13 por dia. Somente na Região Metropolitana de Fortaleza, 36 pessoas foram mortas. Conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os casos de morte violenta foram registrados entre a última sexta-feira e a noite de ontem.

O dia mais violento foi o domingo, quando 11 ocorrências foram registradas na Grande Fortaleza. Já os bairros onde se deram as ocorrências mais recentes são: Edson Queiroz, Jardim Iracema e Ellery. Nesse último, um adolescente foi executado a tiros, na avenida Pasteur, por duas pessoas não identificadas.

No Interior, pelo menos quatro pessoas morreram ontem. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), quatro novos casos foram registrados ontem, nas cidades de Morada Nova, Massapê e Reriutaba, onde dois jovens foram encontrados mortos na mata. A possibilidade que ambos tenham cometido suicídio está sendo investigada.

Estradas

As Polícias Rodoviárias Federal e Estadual informaram que os balanços dos acidentes registrados durante o Carnaval serão divulgados somente na próxima quinta-feira, quando as operações especiais para o feriadão serão encerradas. Na tarde de ontem, o retorno dos foliões que anteciparam a volta para casa foi relativamente tranquilo. Poucos congestionamentos foram registrados somente nos pontos onde havia fiscalização da Polícia. Dentre eles, na CE-040, que dá acesso às praias do Litoral Leste.

O universitário Igor Lacerda, de 22 anos, considerou fraca a fiscalização nas estradas. “Eu vim do Morro Branco até aqui e não fui parado nenhuma vez. Não vimos blitze. Somente dois guardas no posto da PRE. Mas também não presenciamos acidentes. Foi tudo tranquilo”, comentou.

 

Fonte: O Povo

Compartilhar: