Central do Cidadão faz grande mutirão para atender o seguro-desemprego

Na agência do Alecrim, 40 fichas distribuídas terminaram antes das 08h da manhã

Foto: Wellington Rocha
Foto: Wellington Rocha

As agências da Central do Cidadão do Alecrim e da Zona Norte realizaram mutirão de atendimentos na manhã deste sábado (05) para diminuir a alta demanda de procura pelo seguro-desemprego, gerada pelos vários dias em que o estabelecimento ficou fechado ou teve o funcionamento comprometido pelos vários pontos facultativos e jogos da Copa do Mundo no Brasil. As duas unidades funcionaram até as 14h e devem repetir a ação no próximo sábado.

Segundo o gerente da agência do Alecrim, Aurélio Marques, a procura foi tão alta que as 40 fichas que foram distribuídas hoje acabaram antes das 8h da manhã. Por causa disso, várias pessoas foram encaminhadas para a agência da zona Norte, que funciona no shopping Estação, no bairro do Potengi. Lá, a procura foi menor.

“As pessoas que estamos atendendo hoje foram as que foram prejudicadas pelos pontos facultativos por causa dos jogos em Natal e da seleção brasileira e também pelos dias em que a agência não pode funcionar por estar sem energia elétrica. Além disso, nossos funcionários passaram dois dias em treinamento externo e a agência não funcionou, então, foram duas semanas de atendimentos comprometidos”, explicou.

Aurélio disse ainda que são realizados cerca de 150 atendimentos diários exclusivos para o seguro-desemprego pelo Sistema Nacional de Emprego do Rio Grande do Norte (Sine/RN). No entanto, são realizados apenas 30 atendimentos diários nas agências.

A desempregada Jucinele Silva foi uma das pessoas que procurou atendimento durante as duas semanas em que a agência do Alecrim teve seu funcionamento alterado. Ela disse que procurou a unidade três vezes e que somente na última, sexta-feira passada, conseguiu garantir uma ficha para dar entrada no pedido do seguro-desemprego.

“Sempre que chegava na agência, já tinham distribuído todas as fichas disponíveis para atendimento ou era ponto facultativo e o órgão não funcionava, então, tinha que retornar outro dia. Somente ontem foi que consegui uma e cheguei aqui hoje logo cedo, para garantir meu lugar”, disse.

Ela, que está desempregada há um mês, após trabalhar dois anos de carteira assinada para uma empresa potiguar, afirmou que pretende procurar uma nova colocação no mercado de trabalho em pouco tempo e que está confiante que conseguirá um emprego. “Temos que procurar e tentar sempre, porque sempre em emprego para quem gosta de trabalhar”, disse.

Compartilhar:
    Publicidade