Chuvas contribuem para o acúmulo de lixo nas lagoas de captação em Natal

Falta de limpeza e manutenção também aumentam o risco de proliferação de doenças

Av-Jaguarari---Alagada-HD

Carolina Souza

acw.souza@gmail.com

A intensidade da chuva ocorrida em Natal entre terça e quinta-feira desta semana não foi suficiente para causar transbordamento das lagoas de captação da cidade, mas contribuíram para a ocorrência de um antigo problema: o acúmulo de lixo. A sujeira, o mau cheiro e a quantidade de mato nos terrenos tomam conta desses espaços, colocando em risco a saúde da população.

A conhecida Lagoa do Jacaré, em Morro Branco, já passa mais de dois anos sem receber um único serviço de limpeza, segundo relatam os moradores. Maria Selma de Souza, que mora em uma casa em frente à lagoa, disse que em dias de chuva forte chega inclusive a aparecer caramujos na sua casa. “É incrível como eles invadem as nossas casas. O muro que cerca a lagoa fica tomado de caramujos e eles vêm parar aqui. Corremos um risco muito grande de contrair doenças”, afirmou.

Além do acúmulo de lixo e risco da proliferação de doenças, a comunidade ainda vive apreensiva com a possibilidade da água transbordar, alagando ruas e as residências, como já aconteceu em anos anteriores. Um dos questionamentos dos moradores é a respeito do IPTU, arrecadação municipal dos tributos imobiliários que é convertida para investimento em serviços públicos. Em Morro Branco, a taxa do IPTU é de aproximadamente R$ 1.200,00 reais.

“Para onde vai esse dinheiro que a gente paga a Prefeitura? Onde ele está sendo aplicado? Faz tempo que não vemos nenhuma ação de limpeza nessa lagoa. A gente paga caro e não vê retorno dos serviços públicos”, destacou Mário Emerenciano, morador e presidente da Associação Potiguar em Defesa da Cidadania. “Já denunciamos esse descaso a todos os órgãos competentes, observando os problemas da falta de manutenção. Somos obrigados a conviver com esse problema, dormindo todas as noites com medo de amanhecer com uma enchente. Se uma chuva mais forte cair em Natal, corremos esse risco”, contou Mário.

Na “Lagoa do Preá”, no bairro de Nova Descoberta, carroceiros tentam minimizar os problemas causados pelo acúmulo de lixo. Apesar de a Lagoa do Preá estar mais preservada do que a do jacaré, ainda assim os perigos são visíveis, devido à falta de limpeza e manutenção. Em ambas as lagoas visitadas pela reportagem d’O Jornal de Hoje, as águas são esverdeadas, sinal de acúmulo de bactérias decorrente da decomposição de matéria orgânica.

Chuva causam transtornos

A chuva que voltou a cair ontem em Natal provocou mais transtornos em alguns pontos da cidade. Na manhã desta sexta-feira (16) foi registrado um alagamento perigoso na Avenida Jaguarari, na altura do cruzamento com a Avenida Jerônimo Câmara, resultado de uma chuva de poucas horas. Boa parte dos carros que passaram pelo local chegaram a perder a placa.

Se há um prejuízo visível para os motoristas, há quem possa tirar proveito das condições de anormalidade pelas quais Natal vem passando. No referido ponto de alagamento da Jaguarari, homens vão recolhendo as placas deixadas pelos veículos e tirando algumas gorjetas em cima. Segundo Luiz Camilo de Souza, que trabalha em uma loja de estofado nas proximidades da área, disse que só ontem foram recolhidas 90 placas de carro. “Muitas pessoas acabam voltando aqui para procurar as placas e nos dão um ‘ajudinha’. A gente recebe uma cerca de R$ 10,00 a R$ 15,00 por placa. Acaba sendo um dinheirinho extra”, conta Luiz. “Quem não vem procurar pela placa, a gente acaba vendendo na sucata”.

O advogado Ricardo Rocha foi um dos prejudicados pelo alagamento, mas teve a sorte de dar de cara com a boa vontade dos ‘recolhedores de placa’. “Infelizmente temos que passar por esses problemas em Natal. Mas sou daqueles que acreditam que um dia as coisas irão mudar. Bom saber que esses rapazes estão recolhendo as placas. Pelo menos não saímos mais prejudicados ainda”, afirmou.

As chuvas de ontem ainda foram suficientes para parar parte das obras de construção do Complexo Viário da Arena das Dunas, que inclui dois viadutos, cinco túneis e duas passarelas.

Compartilhar:
    Publicidade