Cidade dos EUA se rebela contra bilionário Donald Trump; Saiba o porquê

Dessa vez, ele trouxe a discórdia para Chicago, cidade que decidiu se rebelar contra cinco letras (T-R-U-M-P) na fachada do seu segundo maior prédio

10426566_10152435815693953_7568052571167418980_n

Dessa vez, ele trouxe a discórdia para Chicago, nos Estados Unidos, cidade que decidiu se rebelar contra cinco letras (T-R-U-M-P) na fachada do seu segundo maior prédio, prédio esse que o próprio bilionário construiu.

Como conta o site Business Insider, Chicago tem orgulho de sua riqueza arquitetônica e, uma vez que Trump decidiu na última semana colocar um letreiro gigantesco em frente ao rio – uma parte turística – algumas personalidades da cidade vieram a público para criticar a medida do bilionárioexcêntrico.

Entre eles, está o famoso arquiteto Blair Kamin, vencedor de um prêmio Pulitzer.

“Adeus, espaço público gracioso. Olá, beco porcaria”, escreveu ele, em sua coluna no jornal Chicago Tribune.

“Acorde, Chicago: o exercício autoindulgente de Trump – que o prefeito, por meio de um porta-voz, chamou de “terrível” na última quarta-feira e disse que queria remover – é um tiro de advertência na batalha por uma grande ribeira”, acrescentou.

Nem o próprio arquiteto que desenhou o prédio para Donald Trump poupou criticas ao letreiro, que será iluminado por LEDS durante a noite e vai ocupar um espaço de aproximadamente 853 mil metros quadrados no prédio de 20 andares.

“É de mau gosto”, sentenciou Adrian Smith ao Wall Street Journal.

Trump, que não é de ficar calado, também saiu em defesa de seu letreiro, que ainda precisa de uma licença da prefeitura para continuar no local.

No Twitter, ele publicou que Kamin é “o pior arquiteto no mercado”.

 

.@BlairKamin Blair, you may be the worst architectural critic in the business but thanks for your nice reviews about Trump Chicago & sign PR

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) June 15, 2014

E acrescentou, ainda em entrevista ao Journal: “Acontece que é uma coisa boa para Chicago, porque eu tenho a marca mais sensacional no mundo”.

Ainda segundo o Wall Street Journal, Trump investiu US$ 73 milhões do seu próprio bolso e tomou um empréstimo de em US$ 640 milhões nesse projeto, que só vingou mesmo após a crise de 2008.

 

Fonte: Exame

Compartilhar:
    Publicidade