Cirurgia para emagrecer promete saciedade mesmo em jejum

Técnica revolucionária é parecida com bariátrica com balão, mas utiliza duas "bolhas" em vez de uma só

O procedimento com dois balões, em vez de um só, tem maior tolerância gastrointestinal e resultados melhores depois de seis meses. Foto:Divulgação
O procedimento com dois balões, em vez de um só, tem maior tolerância gastrointestinal e resultados melhores depois de seis meses. Foto:Divulgação

Engolir balões pode ser a solução para pessoas com sobrepeso, que vivem entrando e saindo de dietas e não superam o efeito sanfona. O Daily Mail descreve o novo tratamento como basicamente colocar duas “bolhas” recheadas de água salgada no estômago, dando a sensação de saciedade mesmo quando o paciente não comeu nada.

O procedimento não envolve cortes ou pontos, não deixa cicatrizes e é completamente reversível.

Balões gástricos, como são conhecidos, já são usados há mais de uma década na Europa. Mas algumas pessoas afirmam que ainda sentem muitas pontadas de fome, mesmo depois do procedimento, que custa até 3 mil libras (cerca de R$ 11 mil ). Também existe a possibilidade de recuperar parte do peso depois que o balão é removido.

Mas o último dispositivo é criado para se encaixar perfeitamente no formato do estômago, e os criadores acreditam que ele tem potencial para uma perda de peso ainda maior, já que o balão duplo ocupa 60% mais espaço no corpo do que o modelo tradicional.

Quando ele é removido, depois de seis meses – período que a empresa garante que o balão, feito de silicone cirúrgica, vai se manter seguramente intacto -, o usuário médio perdeu  quase 13 kg. E estudos já mostraram que balões intra-gástricos podem levar a uma perda de até 40% do excesso de peso nesse período.

Um levantamento com 30 pacientes usando o novo ReShape Duo concluiu que aqueles com o instrumento perderam mais peso do que quem apenas cuidou da dieta e fez exercícios. Além disso, a tolerância gastrointestinal para esse modelo é maior, se comparada com o balão simples.

Custando 5.500 libras (cerca de R$ 20 mil), o procedimento demora apenas meia hora, durante a qual o paciente fica sedado – mas não com anestesia geral – de maneira que eles ficam razoavelmente cientes do que acontece ao redor, mas não sentem dor.

Uma das primeiras pacientes a experimentar a novidade, a britânica Claire Cope passou pela cirurgia em junho de 2012 e desde então já perdeu mais de 13 kg.

Fonte: Terra

Compartilhar: