Clientes e locatários do mercado da 6 esperam que reforma dê nova cara

Os frequentadores e locatários dos 90 boxes avaliam que a reforma é bem vinda e já deveria ter acontecido

Recuperação da estrutura do Mercado Antônio Carneiro pela Prefeitura do Natal conta com a parceria da iniciativa privada. Foto: José Aldenir
Recuperação da estrutura do Mercado Antônio Carneiro pela Prefeitura do Natal conta com a parceria da iniciativa privada. Foto: José Aldenir

A reforma do Mercado Antônio Carneiro, no Alecrim, mais conhecido como Mercado da Seis, teve início nesta semana. A última reforma foi na gestão passada do prefeito Carlos Eduardo Alves entre os anos de 2007 e 2008. Na manhã desta quinta-feira (28), o ritmo das intervenções estava lento e apenas seis operários retiravam o que sobrou da pintura antiga do prédio.

A recuperação da estrutura também conta com a parceria do projeto “Tudo de Cor Para Você” das Tintas Coral. O projeto doará 1.250 litros em produtos, como fundo preparador e tinta lavável, que poderão transformar os 2.641 metros quadrados do mercado. O prédio ficará nas cores azul e branco. A rede de material de Construção Armazém Pará também doará produtos para a reforma.

Os frequentadores e locatários dos 90 boxes avaliam que a reforma é bem vinda e já deveria ter acontecido. É o que diz a moradora do bairro do Alecrim Marilda da Silva Ferreira, de 52 anos. “Vai ser bem vinda essa reforma, está precisando. Vai ser boa principalmente para os clientes”, disse a dona de casa, que quase todos os dias compra frango no mercado. Marilda também já notou uma mudança nas pessoas que frequentam o local. Muitos pedintes e usuários de drogas se abrigavam nas escadarias ou mesmo dentro das instalações do prédio. Há cerca de um ano, a situação tem melhorado na avaliação dela. “Acontecia muito e melhorou muito também. Era constrangedor por você estar num canto assim e ter esse tipo de pessoa”, comentou.

Quem vende os frangos à Marilda é o locatório Iranilson da Silva. Ele está no mercado há 14 anos e acredita que depois que as apresentações culturais começaram a acontecer no local, a frequência das pessoas mudou. No equipamento urbano, há o ponto de memória mestre Guedes, que atrai todo tipo de grupos culturais que preservam danças tradicionais. Durante o período eleitoral, a programação cultural ficará paralisada.

Para o comerciante, o grande diferencial do Mercado é o setor de vendas de artesanato. “Aqui não é lojista, é o próprio artesão que produz, também vende”, acrescentou o vendedor de frangos. Ele acredita que depois da retirada do lixo que historicamente era jogado ao lado das escadarias, houve um crescimento no número de pessoas circulando no mercado.

Mas para Alritônio Gama, que possui um box de artesanato, o movimento poderia ser maior. Atualmente, ele atende a uma média de 12 clientes diariamente. “Esperamos que isso aqui passe a ter um freqüência maior até porque é o maior mercado de Natal e o melhor situado”, falou.

De acordo com a administração do mercado, cerca de 100 pessoas circulam por dia no ambiente do mercado – sem contar com os próprios locatórios. Também foi feito um trabalho para evitar a presença de usuários de drogas e pedintes de forma permanente no mercado. A expectativa da administração é que a obra avance pelos banheiros amanhã com a chegada de banheiros químicos para substituir os permanentes enquanto durar a reforma.

Segundo a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), o mercado também passará por uma reforma na parte hidráulica. Isso inclui os banheiros, impermeabilização da caixa d’água, novas calhas e cobertura do mercado. O prédio também receberá piso tátil e rampas de acessibilidade.

A previsão para o fim da reforma é de 60 dias, contados a partir da quarta-feira desta semana, data de início da obra. O Mercado de Petrópolis já foi beneficiado com essa parceria em 2013.

Compartilhar:
    Publicidade