Clubes brasileiros tentam evitar vexame histórico na Libertadores

Flamengo, Cruzeiro e Atlético-PR podem cair já na fase de grupos. Jamais o País teve três times eliminados tão cedo

Bolívar x Flamengo: derrota comprometedora. Foto: Divulgação
Bolívar x Flamengo: derrota comprometedora. Foto: Divulgação

Com três clubes brasileiros ameaçados de eliminação, a Libertadores promete muita emoção nas últimas rodadas. O Flamengo corre o risco de dar adeus à competição nesta quarta-feira, e na quinta será a vez de o Cruzeiro decidir seu futuro. O Atlético-PR terá ao menos mais uma semana de sobrevida, pois entra em campo somente no dia 8 de abril.

Na última vez que o Brasil teve dois times eliminados na fase de grupos, em 2002, as vítimas foram justamente Flamengo e Atlético-PR. Ambos foram lanternas dos seus grupos. A queda de três times do Brasil na fase de grupos, porém, seria um vexame inédito.

Flamengo decide futuro no Equador

Com quatro pontos em quatro jogos, o Flamengo será eliminado se perder para o Emelec na quarta-feira, em Guayaquil. O empate é um resultado aceitável, já que assim o time carioca chegaria à última rodada precisando apenas vencer o León, do México, no Maracanã. Se vencer na quarta-feira, o Rubro-negro precisará do empate na rodada final.

Cair na primeira fase não é novidade para o Flamengo, que passou por isso em sua última participação, em 2012. Por coincidência, um dos carrascos foi o mesmo Emelec, que venceu justamente o jogo da penútima rodada por 3 a 2, em Guayaquil. Nem os 3 a 0 sobre o Lanús na partida derradeira salvaram os brasileiros. Antes, o time já havia sido eliminado na fase de grupos em 1983 e 2002.

Cruzeiro vai ao Chile desafiar o líder

O Cruzeiro tem quatro pontos em quatro jogos e está em terceiro lugar no grupo 5, atrás de Universidad de Chile (9) e Defensor (7). Como os uruguaios visitam nesta terça-feira o lanterna Real Gacilaso (3), o time mineiro entra em campo na quinta-feira, em Santiago, sabendo do resultado necessário para seguir vivo. A derrota diante dos chilenos, porém, provavelmente será fatal. Mesmo o empate pode significar a eliminação precoce.

“A gente tem que focar só na vitória. Aprendemos isso no último jogo dentro de casa (empate por 2 a 2 com o Defensor), quando teve catimba por parte dos adversários. Eles querem vencer, mas nossa vontade será maior”, afirma o meia Ricardo Goulart. “Estamos preparados para tudo, já vivenciamos muitas coisas. A gente tem uma mentalidade só, que é chegar lá e fazer o nosso trabalho de uma forma quase que perfeita”, reforça o meia Júlio Baptista.

Atlético-PR busca empate

Vice-líder do grupo 1 com nove pontos, o Atlético-PR precisa de um empate com o The Strongest, em La Paz, para se classificar. Um obstáculo até maior que o adversário, derrotado em Curitiba por 1 a 0, é a altitude de 3,6 mil metros da cidade boliviana, onde os brasileiros historicamente têm problemas.

Até hoje, os times do Brasil já atuaram 26 vezes em La Paz pela Libertadores e perderam 13 jogos, exatamente a metade. Nos demais jogos, foram oito vitórias e cinco empates. O último a vencer por lá foi o Atlético-MG, que fez 2 a 1 no The Strongest em 2013, quando acabou campeão.

O outro lado da moeda

O Botafogo lidera o grupo 2 com sete pontos, e uma vitória na quarta-feira sobre o Unión Española, no Maracanã, garante a liderança e a primeira posição da chave. A situação do Atlético-MG é semelhante. Se vencer o Independiente Santa Fé em Bogotá, na quinta-feira, o time mineiro assegura o primeiro lugar do grupo 4. Já o Grêmio não tem como assegurar a ponta, mas estará classificado se vencer o Nacional em Medellín, quarta-feira.

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade