Com acesso gratuito, festival Natal Instrumental começa amanhã

A música instrumental começou a ganhar destaque na programação da juventude natalense

Camarones Orquestra Guitarrística é uma das principais bandas de rock instrumental do país e atração na Ribeira no próximo sábado (28). Foto: Divulgação
Camarones Orquestra Guitarrística é uma das principais bandas de rock instrumental do país e atração na Ribeira no próximo sábado (28). Foto: Divulgação

Conrado Carlos
Editor de Cultura

Se Khrystal e Roberta Sá têm na voz sua qualidade maior, uma série de bandas e artistas solo abdica do instrumento corpóreo na hora de compor temas que percorrem gêneros, como o rock e o jazz, e inserem o Rio Grande do Norte no mapa sonoro desenhado sem a expressão vocal.

Nomes como Camarones Orquestra Guitarrística (foto) e Antonio de Pádua figuram em listas Brasil afora que destacam representantes da boa safra nacional de música instrumental. Para comemorar o momento frutífero e, sobretudo, prestar homenagem ao guitarrista Manoca Barreto, morto no dia 25 de novembro, a turma da Associação Cultura Dosol e da Casa da Ribeira, com patrocínio do programa Unimed Cultural, promove amanhã (27) e sexta-feira (28) o festival Natal Instrumental. Os shows começam às 20h, nos dois points da cultura no tradicional bairro natalense.

A documentação em áudio e vídeo das apresentações também está prevista, como sempre acontece nas iniciativas da dupla de músicos e produtores culturais Anderson Foca e Ana Morena – vide o site www.dosol.com.br. Anderson, por sinal, revela meandros da organização que tomou um baque ao saber da morte de Manoca Barreto, um dos melhores instrumentistas nascidos no Estado, e também professor da Escola da Música da UFRN. “Como todo mundo, ficamos estarrecidos. Manoca era muito querido por todos, um cara sem rejeição, acima do bem e do mal. Na verdade, o Natal Instrumental era para ter acontecido na primeira semana de dezembro, e Manoca fazia parte do line up [lista de atrações]. Mas com a morte dele, não pensamos duas vezes em parar tudo e adiar. Não tinha clima”. O material gráfico do evento foi refeito com a homenagem póstuma.

Distante do grande público, mas com forte apelo no meio artístico e intelectual, a música instrumental começou a ganhar destaque na programação da juventude natalense que frequenta a Ribeira ainda em 2008, com a seção do Festival Dosol voltada para a vertente. “O que fizemos foi trazer o que era feito durante o Dosol Música Contemporânea, na Casa da Ribeira, para um ambiente adequado, como uma evolução do que vinha sendo feito”, diz Anderson. Terra de grandes músicos de gêneros tradicionais, como o jazz e o blues, Natal viu o surgimento de bandas, como Mahmed, Tesla Orquestra e Jubarte Ataca, além do próprio Camarones, que misturam elementos distintos em uma sonoridade que caiu no gosto dos mais jovens – a saber, diversas subcategorias do rock. “O que fizemos foi promover o diálogo entre as duas linguagens. Aquela mais tradicional, de estudo, como o jazz fusion, e o som que a galera tem escutado”.

A pouco mais de 24 horas do início da primeira apresentação, Anderson confirma que a estrutura está pronta para receber o público, que costuma lotar galpões, ruas e adjacências, nos eventos que ele organiza. “Os dois teatros estão prontos para os dez shows. Acredito ser um dos melhores momentos da música instrumental em Natal. Alguns músicos, como Jubileu Filho, tocarão composições de Manoca, dentro da homenagem programada. Por isso, convidamos a todos que compareçam ao Natal Instrumental”, conclui Anderson Foca.

O evento tem patrocínio da Unimed Natal que, através da lei de incentivo Djalma Maranhão, selecionou projetos em diversas áreas da cultura em seu edital – dentre eles o Som da Mata, o Encontro Nacional de Dança Contemporânea e a Feira de Livros e Quadrinhos de Natal. Durante o festival, o Unimed Cultural promoverá uma batalha de guitarristas aberta aos presentes, que poderão se inscrever na hora. Os vencedores levarão brindes oferecidos pela instituição de assistência médica.

Compartilhar: