Com medo do “efeito Copa”, lojistas antecipam Dia dos Namorados

Em 2014, a terceira data mais importante para o comércio será celebrada no dia 11 de junho

Coletiva-do-CDL-sobre-antecipacao-do-Dia-dos-Namorados-HD-(23)

Marcelo Hollanda

hollandajornalista@gmail.com

Temerosos que o jogo de estreia da seleção brasileira contra a Croácia, no dia 12 de junho, prejudique ainda mais o movimento no comércio em pleno Dia dos Namorados – a terceira data mais importante para o varejo depois do Natal e do Dia das Mães – a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Natal, a Federação do Comércio e o Sindicato do Comércio Varejista e Serviços do RN acabam de antecipar as comemorações em um dia.

Em 2014, os varejistas querem os namorados dando seus presentes no dia 11 para fugir de um possível efeito Copa, que estimule as pessoas a não pensar em outra coisa a não ser se enfiarem em casa ou em bares para assistir a primeira partida dos anfitriões.

Na manhã desta quarta-feira (28), para anunciar essa ação de marketing, o presidente da CDL Natal, Amauri Fonseca, reuniu a imprensa para mostrar os resultados de uma pesquisa realizada entre os dias 17 e 18 de maio com 600 pessoas para sondar o que elas pretenderiam comprar no Dia dos Namorados.

É a primeira sondagem realizada no setor pelas entidades classistas locais e, portanto, não pode exibir nenhuma comparação com o comportamento do consumo na mesma data do ano passado. Mesmo assim, as entrevistas trouxeram dados reveladores, que confirmaram os homens como os grandes consumidores, bem acima das mulheres quando o assunto é o namoro.

Embora 37% dos entrevistados ouvidos em casa não saibam ainda o que comprar para os namorados ou namoradas, os pesquisados, na faixa etária entre 25 a 45 anos, disseram que pretendem desembolsar uma média de R$ 180,00 e quase 30% tem em mente dar roupa de presente; 16% pensam em comprar perfumes e quase 8% deve oferecer calçados. Com pouco mais de 5% estão aqueles que presentearão celulares e um mesmo percentual comprarão produtos eletrônicos ou eletrodomésticos.

Se não é novidade o que as pessoas mais dão de presente nessa época, o dado interessante da pesquisa destronou as mulheres como as mais generosas e gastadeiras. Com exceção de roupas, onde 56% das mulheres disseram que presentearão com artigos de vestuário seus namorados, no resto dos itens associados ao dia a predominância é dos homens comprando mais do que as mulheres. Perfumes: 53% dos que comprarão são homens. Calçados: 57%. Celulares:51%. Eletrônicos e eletrodomésticos: 67%.

Onde os consumidores pretendem comemorar o Dia dos Namorados?

A pesquisa apurou que quase 50% que mesmo ficar em casa; 18% devem lotar os restaurantes; apenas 7% pretende viajar, enquanto outro percentual parecido declarou que buscará os shoppings para passar o dia mais romântico do ano.

A pesquisa também sondou a forma de pagamento que será mais usada e descobriu que 47% pretendem fazê-lo à vista; 33% a prazo e 20% não souberam responder. Metade dos ouvidos planeja fazer suas compras nas lojas dos shoppings, quase 23% nos estabelecimentos de rua, enquanto 20% não souberam responder.

Para variar, a pesquisa mostrou que os presentes serão comprados em cima da hora: 81% pretendem fazê-lo em junho, enquanto apenas 11% antes da virada do mês. Menos de 3% declararam, no mês passado, já ter comprado os seus presentes.

Amauri Fonseca, presidente do CDL Natal, reconheceu o temor dos comerciantes de que a sobreposição de eventos acabe produzindo uma dispersão dos consumidores. A tentativa para atenuar essa situação acabou aparecendo na forma de uma sutil alteração de data, 24 horas. Ele garante que todas as lideranças classistas se reuniram para debater o assunto e concordaram com a estratégia.

A expectativa geral, ainda segundo o dirigente, é que este ano as vendas registrem uma queda de 1% nas vendas do Dia dos Namorados por conta a situação econômica brasileira, que é uma condição conjuntural sobre a qual não há muito a fazer.

No dias de jogos do Brasil, o comércio abrirá apenas em intervalos que variam de 30 minutos e uma hora antes e depois das partidas para que os comerciários possam assistir aos jogos. Como toda exceção, há setores de comércio que faturarão mais e outras menos durante o evento Copa do Mundo.

Um dos setores que estão com uma excelente expecactiva é o de bares e restaurantes, que explorarão ao máximo o recurso de grandes telões para atrair clientela.

A frase da campanha antecipando em 24 horas a terceira data mais importante do comércio já foi criada: “Antes da Copa, vamos celebrar o amor!”

 

Compartilhar: