Com presença de Xuxa, votação de Lei da Palmada é adiada após confusão

A sessão foi tumultuada devido ao impasse pela bancada evangélica por questões pontuais do projeto

i766i67i6i6i

A apresentadora Xuxa Meneghel participou, nesta quarta-feira (21/5), da sessão de Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados sobre Projeto de Lei 7672, mais conhecido como a Lei da Palmada. O texto estabelece o direito da criança e do adolescente de serem educados e cuidados sem o uso de castigos corporais ou de tratamento cruel.

A sessão foi tumultuada devido ao impasse pela bancada evangélica por questões pontuais da lei. O deputado pastor Eurico (PSB-PE) mencionou a participação de Xuxa em um filme de 1982. No polêmico filme, a apresentadora tem uma relação sensual com um menino. Com a confusão, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), propôs uma nova sessão às 18h para votar o projeto.

O plenário vaiou a citação de Eurico. O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) disse que o posicionamento de Eurico é pessoal e não representa a bancada evangélica. Xuxa não tinha direito de fala na reunião.

Mais cedo, Xuxa informou aos fãs, pelo Facebook, que chegou em Brasília e anunciou que hoje é um dia histórico. “Oi gente, estou mega ansiosa, hoje é um dia histórico pra proteger nossas crianças, muitas coisas irão acontecer. Vou passar tudo para vocês, torçam para que tudo dê certo”, dizia a mensagem que teve mais de 3 mil curtidas e centenas de comentários.

Revelação

No ano passado, Xuxa revelou que sofreu abuso sexual quando criança. Segundo a apresentadora, a violência ocorreu até a adolescência, quando ela completou 13 anos. Xuxa disse ainda que não teria sido vítima apenas de uma pessoa. “Foram algumas pessoas que fizeram isso. E em situações diferentes, em momentos diferentes”, disse.

 

Fonte: Correio Brasiliense

Compartilhar: