Com tapa, condenado à morte é salvo da execução no último minuto

O condenado por assassinato em 2007 já estava com a corda no pescoço em cima de uma cadeira quando a mãe da vítima se aproximou dele, desferiu um tapa no seu rosto e concedeu clemência

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No último segundo, um homem identificado como Balal, escapou da execução por enforcamento em Nowshahr (Irã). O condenado por assassinato em 2007 já estava com a corda no pescoço em cima de uma cadeira quando a mãe da vítima se aproximou dele, desferiu um tapa no seu rosto e concedeu clemência.

Sete anos atrás, Balal tinha se envolvido em uma briga de rua em Royan (Irã) contra Abdolah Hosseinzadeh, que acabou morto com golpes de faca.

De acordo com a agência semioficial Isna, Balal foi salvo exatamente por “Abdolah”. O pai da vítima, Abdolghani Hosseinzadeh, contou que o filho apareceu em um sonho para a mãe, “dizendo estar em um bom lugar e pedindo que ela não retaliasse o seu assassino”.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Isso acalmou a minha esposa e decidimos pensar melhor até o dia da execução”, relatou ele.

A mãe da vítima se convenceu que Balal não tinha a intenção de matar o filho na briga.

“Balal não sabia manipular uma faca. Era ingênuo”, argumentou Abdolghani.

De acordo com a sharia – conjunto de leis regido pelos preceitos islâmicos – a família tem direito a chutar a cadeira para que o condenado seja enforcado e poder de clemência, mas não de anular a condenação à prisão.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Compartilhar:
    Publicidade