Com a volta das chuvas, só falta agora as sementes prometidas por Rosalba

Agricultores têm pressa para iniciar o plantio no Rio Grande do Norte

Reunião do Comitê da Seca contou com a presença da governadora Rosalba Ciarlini e discutiu novos planejamentos para enfrentar o problema em 2014. Foto: Ivanisio Ramos
Reunião do Comitê da Seca contou com a presença da governadora Rosalba Ciarlini e discutiu novos planejamentos para enfrentar o problema em 2014. Foto: Ivanisio Ramos

Marcelo Hollanda

hollandajornalista@gmail.com

 

Com a volta das chuvas no Oeste e Alto Oeste potiguar, por onde começa a quadra chuvosa e que recebeu mais de 95 milímetros de chuva no último fim de semana, o problema do Governo do Estado agora é garantir o abastecimento dos bancos de sementes para os agricultores de subsistência.

Ontem, durante a reunião semanal do Comitê da Seca, pressionada pela Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetarn), a governadora Rosalba Ciarlini prometeu iniciar a distribuição de sementes em até 15 dias.

Em 2013, foram distribuídas 466 toneladas de sementes de milho, feijão e sorgo para 42 mil agricultores em 146 municípios do RN. Neste período foram investidos R$ 3,8 milhões do Tesouro Estadual. Para 2014 já estão aprovados R$ 2,9 milhões para a distribuição de 321 toneladas de sementes com atendimento a 36 mil agricultores em 1.150 bancos de sementes.

Mas, para variar, o problema é financeiro. A Santana Sementes, que fornece o material para os agricultores, ainda não recebeu a fatura do ano passado de R$ 3,4 milhões. Sem dinheiro, sem sementes.

Ontem, na volta do Comitê da Seca, suspenso na semana passada para que se preparasse a prestação de contas dos recursos investidos em medidas para atenuar os efeitos da pior estiagem dos últimos 50 anos, as informações divulgadas não trouxeram grandes novidades.

Foi lembrado, por exemplo, que o Seguro Garantia Safra contabiliza 153 municípios atendidos e 55 mil agricultores beneficiados ao custo de R$ 4,2 milhões e que, em 2009, eram apenas 87 municípios e 25.298 agricultores beneficiados, além de uma dívida de R$ 910,7 mil quitada pela atual gestão estadual.

Numa reunião mais voltada para inflar as ações do Estado, resgatou-se a Operação Carro Pipa na qual são atendidos atualmente 139 municípios, dos quais 26 são de responsabilidade da Defesa Civil Estadual com um investimento de mais de R$ 3,6 milhões (de 2012 até fevereiro de 2014) e 113 cidades pela operação realizada pelo Exército, atingindo mais de 260 mil pessoas.

A governadora Rosalba Ciarlini aproveitou para garantir que todas as ações emergenciais e de longo prazo que vêm sendo desenvolvidas “terão continuidade para que as gerações futuras não sofram com o mesmo problema”. Mas evitou explicar porque a liberação de sementes – já dada como certa há mais de um mês – não será deflagrada imediatamente com a chegada das chuvas no Alto Oeste.

Confirmando o que disse durante o encontro o metereologista Gilmar Bristot, da Emparn, as chuvas realmente começaram a chegar ao Oeste e Alto Oeste, prenunciando o início da quadra chuvosa.

O secretário da Agricultura, da Pecuária e da Pesca, Tarcísio Bezerra, lembrou o apoio dado aos produtores rurais e ao agricultor familiar na manutenção dos seus rebanhos, o que por conseqüência, ajudou a manter o Programa do Leite funcionando.

“Nós já distribuímos mais de 70 mil sacos de ração de torta apenas no primeiro convênio e estamos distribuindo mais 177 mil sacos até o final de março”, afirmou.

Sobre as chamadas obras estruturantes, a reunião também se preocupou em fazer um balanço amplamente favorável à administração. O sistema adutor do Alto Oeste, por exemplo, tem 95% executado, restando apenas a ligação do sistema. São 320 km de adutora, atingindo 26 municípios e 200 mil pessoas com recursos na ordem de R$ 35 milhões do Tesouro Estadual, sendo R$ 8,8 milhões somente para o pagamento de débitos anteriores. A adutora Parelhas/Carnaúba dos Dantas também está 98% executado, faltando a ligação do sistema.

A ampliação do sistema adutor Monsenhor Expedito está em fase de teste e tem previsão para o próximo mês de março. Serão 22 milhões investidos e 290 mil pessoas atendidas em 30 municípios. Com recursos na ordem de R$ 301 milhões e contrapartida do Estado de R$ 19 milhões, a Barragem de Oiticica também está em execução e beneficiará 330 mil pessoas do Seridó e Vale do Açu. As obras da adutora de engate rápido de Pau dos Ferros também já foram iniciadas. Com extensão de 42 km, cerca de 26,6 mil habitantes receberão benefícios por meio do investimento de R$ 13,54 milhões.

Quanto aos poços artesianos, foram 339 poços perfurados, 118 poços instalados, 290 perfurados em convênio com as prefeituras, 149 recuperados, totalizando 1.206 poços. Em relação às cisternas, 3,1 mil já estão prontas e mais 7.740 estão programadas para este ano através de um investimento de R$ 33 milhões em convênio com o MDS.

Compartilhar:
    Publicidade