Como se faz um bispo?

Como se faz um bispo? Sinceramente, Senhor Redator, não saberia dizer. E seria exigir muito de quem sequer decifra o…

Como se faz um bispo? Sinceramente, Senhor Redator, não saberia dizer. E seria exigir muito de quem sequer decifra o silêncio que vem do outro lado dos muros vaticanos. É mais fácil saber como não se faz. E imagino se não cometo uma heresia: para fracassar basta fazer o que se fez aqui nos últimos dois anos. Cada bispo tinha um candidato e o povo, de Caicó, nenhum. Foi assim, desde a saída de D. Delson Pedreira. Uma demora que revelou a nossa fraqueza e a vaidosa divisão dos nossos líderes episcopais.

Noutros tempos, com o prestígio do cardeal Eugênio Sales, o bispo de Caicó teria sido o padre Valquimar Nogueira, seridoense, e seu secretário particular na Arquidiocese do Rio. Patrocinado pelo arcebispo emérito Dom Heitor Sales, pode ter deixado de ser o escolhido por significar a vitória de um e a derrota dos nossos dois outros bispos. Como a escolha do padre Edilson Nobre faria de Dom Jaime Vieira o vitorioso e a nomeação do padre Aérton Sales Cunha a vitória de Dom Matias Patrício, hoje emérito.

Na santa madre Igreja os conflitos, entre purpurados, são dissimulados e cercados de toda lhaneza. Seria impossível vê-los defendendo um ou outro nome por sobre o juramento de absoluta obediência ao Papa. Nem o próprio Papa, principalmente Francisco, diante de preferências tão diferentes, escolheria um dos três nomes, mesmo dotados de mérito. Eles um dia poderão ser bispos, sussurram as vozes vaticanas nas frestas discretas da Nunciatura, mas só quando a sua escolha não desagradar e não derrotar ninguém.

A segunda análise a ser feita é sobre a escolha do Papa Francisco. A nomeação do frade Antônio Carlos Cruz Santos, da Congregação do Sagrado Coração de Jesus, é a consagração do seu aviso quando ainda da visita ao Brasil. Falando aos bispos e cardeais disse que a Igreja não precisava de príncipes, mas de pastores. E nada representa melhor o pastoreio do que um frade, servo de Deus, no interior de Minas, para fazê-lo bispo e lhe entregar o rebanho de uma paróquia no sertão nordestino, nos longes do mundo.

Quais as informações que Francisco ouviu do Núncio Apostólico, representante do Vaticano, em Brasília, a respeito dos padres Valquimar, Edilson e Aérton? Todas favoráveis, certamente. Um bispo não indica um padre para ser bispo sem que reúna as condições indispensáveis para assumir a mitra, o báculo, o anel e a cruz peitoral. Nem a igreja desconhece facilmente o clero da região. A não ser quando a escolha divide a província eclesiástica representada por seus bispos atuantes e mesmo alguns deles já eméritos.

A partir de agora, o silêncio obediente e obsequioso vai abafar todos os resmungos e sussurros em torno da escolha do novo bispo. A ele, por sua vez, muito mais como frade com seus votos de humildade e comiseração, caberá renovar a obediência a todos os princípios reunidos nos símbolos do pastor que vai receber dentro de 90 dias. Para assumir seu rebanho como um sinal da vitória da Santa Madre Igreja sobre a pobre e frágil vaidade humana. Aquela vaidade das vaidades que é nada, como nos avisa o Eclesiastes.

 

TOQUE

O PC do B pode não ter nos seus quadros tantos comunistas assim como seria o esperado em um partido tão ideológico, mas chegou inteiro para conversar sobre a chance de aliança com o PSD Robinson Faria.

 

SURPRESA

Nenhuma das cabeças coroadas da Arquidiocese de Natal esperava a nomeação do frade Antônio Carlos Cruz Santos. Ninguém. Nem as fontes curiais mais bem informadas. O Papa Francisco impõe um estilo.

 

AVISO

Sexta-feira, amanhã, 14 de fevereiro, é noite de lua cheia, a segunda do ano, informa o calendário lunar. Quando se derrama sobre a maré de lua, como dizem os pescadores, avançando suas águas em plenilúnio.

 

ELOGIO – I

Corretíssimo o apoio do deputado Henrique Alves para a aprovação da PEC que determina a presença de defensor público em cada comarca onde existir um promotor. Os desvalidos ficarão gratos ao deputado.

 

LUTA – II

No Rio Grande do Norte a luta por uma defensoria com presença em todas as comarcas do Estado vem desde o segundo governo Wilma de Faria quando foi feito o único concurso para contratar 45 defensores.

 

MAS – III

No Governo Rosalba Ciarlini, até a garantia dos direitos salariais de concursados precisaram ser garantidos pela Justiça. Os carentes que dependem de defesa gratuita interior ainda esperam pela Justiça.

 

POLÍTICA

Até o filho, prefeito Carlos Eduardo, ficou surpreso com declaração do deputado José Dias de que Agnelo Alves pode vir a ser vice de Robinson Faria. As melhores fontes do PSD não sabiam dessa possibilidade.

 

PRESENÇA – I

Câmara Cascudo é citado por Gustavo Simon na matéria ‘Bolo da Vovó’, capa do caderno Comida, da Folha de S. Paulo, sobre um soldado que reconhece pelo cheiro pedaço de pão de ló feito por sua família.

 

ONDE – II

O episódio está citado por Cascudo na História da Alimentação no Brasil e aconteceu em Natal na revolta de 1817, atestando o cheiro como forma de despertar na memória afetiva a força das ‘sensações afetivas’.

 

SALVADOS

Manoel Onofre Júnior lança a terceira edição de ‘Salvados’, artigos sobre livros e autores do Rio Grande do Norte. São leituras. De Cascudo a Itajubá, de Myrian Coeli ao grande sertão de Oswaldo Lamartine.

 

POTENGI

O jornalista Aírton De Grande – do Ibama – vem realizando um grande documentário sobre a história e o traçado do Potengi desde as nascentes em Cerro Corá. Compondo imagens, textos e vários depoimentos.

 

LUTO

Anchieta Fernandes, escritor, crítico de cinema e poeta, desde ontem declarou no facebook seu estado de luto com a morte de Shirley Temple. Fã de verdade, não importa sua razão, tem que ser assim, absoluto.

 

ARTE

Flávio Freitas é o artista homenageado pelo deputado Henrique Alves a partir do dia 17. Seu quadro, ‘Geometria das possibilidades’, será exposto no gabinete da presidência da Câmara Federal. Bela sacada.

 

LEITURA

A editora Casa da Palavra reuniu numa edição de 360 páginas os ensaios de Sérgio Viotti, desaparecido em 2009, sobre a vida e o teatro de Shakespeare. E os textos e notas foram publicados como ele deixou.

Compartilhar:
    Publicidade