Concorrência da limpeza pública tem envelopes abertos nesta terça-feira‏

Os serviços foram orçados em R$ 341,7 milhões, por um prazo de cinco anos, na modalidade Menor Preço, e envolve uma série de tarefas que foram organizadas em lotes

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (06), a Companhia de Serviços Urbanos de Natal (Urbana) realiza a sessão de abertura dos envelopes com as propostas de preço dentro do processo licitatório de concorrência pública para contratação de prestação dos serviços de limpeza urbana para todo o município.  O evento vai ocorrer às 9h, no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), no antigo CEI de Mirassol.

O diretor jurídico da Urbana, Leonardo Pereira, informa que as primeiras propostas apresentadas foram desclassificadas por uma série de motivos, entre eles, o de inconsistência entre a proposta original da Companhia e a apresentada pelas empresas Marquise S/A e Vital Engenharia Ambiental S/A. “Decorrido o prazo de oito dias úteis, de acordo com a Lei 8.666, as empresas vão apresentar as novas propostas com base nas adequações que foram informadas pela Comissão Permanente de Licitação da Urbana”.

Segundo Leonardo Pereira, após a abertura dos envelopes, a comissão fará o julgamento cujo resultado será publicado no Diário Oficial do Município (DOM). As propostas de preço apresentadas serão analisadas com base no edital e a proposta vencedora será encaminhada para homologação pela direção da Urbana. Os serviços foram orçados em R$ 341,7 milhões, por um prazo de cinco anos, na modalidade Menor Preço, e envolve uma série de tarefas que foram organizadas em lotes, ressaltou Leonardo Pereira.

De acordo com ele, o primeiro lote contemplará as regiões Norte e Oeste; o segundo, as regiões Sul e Leste; e o terceiro, ficará com a aquisição de equipamentos e a administração da estação de transbordo. O quarto lote, por sua vez, a coleta, transporte e tratamento dos resíduos hospitalares. Com este modelo, opina Leonardo Pereira, a Urbana espera atender 100% da área da capital potiguar e aumentar a eficácia do serviço.

Leonardo Pereira revela, ainda, que a concorrência vai disciplinar o pagamento das empresas que deixará de ser feito por peso de lixo coletado, passando a ser por serviço prestado. Para melhorar o sistema de fiscalização, todos os veículos e equipamentos terão GPS integrado ao sistema.

Compartilhar:
    Publicidade