Confusão entre desembargador e garçom mobiliza redes sociais

Caso ganhou maior repercussão pela interferência de cliente e voz de prisão dada pelo magistrado

Discussão acalorada foi registrada por clientes que presenciaram a cena.  Vídeos foram compartilhados  rapidamente pelas redes sociais e já  contabilizaram milhares de visualizações. Foto: Divulgação
Discussão acalorada foi registrada por clientes que presenciaram a cena.
Vídeos foram compartilhados
rapidamente pelas redes sociais e já
contabilizaram milhares de visualizações. Foto: Divulgação

Fernanda Souza
fernandasouzajh@gmail.com

O assunto tomou conta de redes sociais e é um dos mais comentados em Natal. Na manhã de ontem (29), uma das padarias mais conceituadas da capital potiguar foi palco de uma discussão acalorada entre um desembargador, um garçom do estabelecimento e clientes. De acordo com pessoas que estavam no local durante a confusão, o incidente começou quando o funcionário da padaria teria entregue um copo descartável com pedras de gelo ao desembargador do Tribunal de Justiça do RN, Dilermando Mota, que por sua vez, teria maltratado o atendente com insultos, cena que causou a comoção de vários clientes que interferiram a favor do garçom.

Segundo o empresário Adelino Marinho, proprietário da padaria, o ocorrido aconteceu por volta das 9h30 e durou cerca de 45 minutos. “Não estava no início, mas cheguei a tempo. Fui informado que o garçom levou o copo descartável com gelo e o desembargador teria pedido um copo de vidro, mas o garçom não teria ouvido e ele foi ao encontro do garçom já com insultos”.

Adelino também conta que mesmo com o destempero do magistrado, o funcionário não teve reação nenhuma e chegou a cair no choro. Foi nesta hora, que houve uma comoção no lugar e um cliente, em especial, chamado Alexandre, não se conteve e interveio na situação. “Este cliente tomou as dores. Ele e o desembargador ficaram muito exaltados. Foram várias ofensas e se não houvesse pessoas para tentarem acalmar os ânimos poderia haver agressão física. O desembargador chamou a polícia e chegaram quatro viaturas para prender o cliente. O responsável pelo destacamento deu voz de prisão, mas a mobilização dos clientes foi imediata e teve uma senhora que até se abraçou no Alexandre e disse que se ele fosse preso, ela também seria”, contou Marinho.

O empresário ainda explicou que a polícia não efetuou a prisão e o desembargador junto com a polícia foram para o estacionamento aguardar a saída do Alexandre, que ficou dentro da loja. “Os clientes não quiseram ir embora e foram muitos solidários ao Alexandre. No fim das contas a polícia foi embora. Vivemos num mundo globalizado e recebi ligações de fora, até de Porto Alegre, comentando o que aconteceu, que os vídeos já estavam com milhares de visualizações nas redes sociais.

Mas é importante ressaltar que a opinião pública julga primeiro do que a justiça. Espero que o  ocorrido sirva de exemplo para não acontecer mais. Embora visemos um alto padrão no atendimento, erros acontecem e de repente um cliente pode ter sido atendido de uma maneira que não tenha gostado. Mas neste caso, houve ofensas morais e um erro não justifica o outro”, pontuou Adelino Marinho.

Na manhã desta segunda-feira (30), o ambiente estava tranqüilo na padaria e a equipe de colaboradores de ontem já não era mais a mesma desta segunda-feira (30), devido ao sistema de escala. Segundo a direção da empresa foi concedida folga ao garçom envolvido na confusão, devido ao abalado estado emocional em que se encontra.

Clientes e garçons da padaria estão se mobilizando através das redes sociais para promover um “abraço aos garçons”, a partir das 8h do próximo dia 8 de janeiro, como uma forma de protesto.

O desembargador Dilermando Mota ainda este ano assumirá a presidência do Tribunal Regional Eleitoral, em tempo de presidir as eleições de outubro. O desembargador se pronunciou através de uma nota de esclarecimento e afirmou que “um simples e moderado pedido de esclarecimento de um cliente a um garçom, que já havia sido solucionado, gerou uma reação de um terceiro com ameaças, gritos e total desrespeito ao público presente”.

Ainda segundo a nota, “não houve abuso de autoridade, mas somente uma atitude de defesa pessoal e da filha presente, inclusive uma filha menor de dois anos de idade. Sem nenhum propósito revanchista, as medidas judiciais cabíveis serão adotadas”.

Já no final da manhã de hoje, a padaria Mercatto publicou uma nota oficial reafirmando o compromisso de um trabalho diário de dedicação e cuidado, qualidade no atendimento, zelo aos clientes e lamentando o episódio que aconteceu nesse domingo. Ainda segundo a nota, a empresa está oferecendo todo o suporte necessário ao funcionário envolvido no episódio e está à disposição das autoridades para qualquer tipo de esclarecimento.

 

Compartilhar:
    • Aderbal Martins

      Esse desembargador deveria ter mais educação e trato humanitário. Ele é quem julga as pessoas, deveria ser isento de tal coisa, agiu errado, sem controle, foi ao bate boca com outrem, parecia o dono do mundo, onde nós viventes estamos metidos! Peça desculpas a quem você atingiu e ao povo, quem paga o seu salário aviltado. Não fique dizendo que a justiça é quem vai julgar, o seu temperamento carece de um remédio especial.

    • Erasmo

      A Toga ainda serve a quem não a honra…

      • Elvis

        Que se faça a Justiça, se é que existe!
        Como um ser arrogante deste que se julga ser gente pode ocupar um cargo público?
        Agride pessoas moralmente e se sente o dono do planeta. Processem este cara, exijam danos morais!
        Ah! vah pro inferno DEISssinbargador!

    • GilsonCerqueira

      Parabéns Alexandre e todos aqueles que junto com vc no local, não
      aceitou que um desembargador(Nada mais é q um funcionário
      público)humilhasse um simples trabalhador por qualquer que seja o motivo.O
      Brasil acordou!!!!!!

      • Kika

        Parabéns Alexandre. É Desembargador lá no Tribunal dele. Na rua ele é um cidadão comum que merece sim respeito e que DEVE respeito.
        Condutas desse tipo depõem contra ele próprio. Muito feio!.
        Espero que sirva de lição.
        Não ficaremos calados ante a injustiças. Coragem Brasil!

    • Joaquim Olimpio

      Cara de pau esse Desembargador,isto mostra á cara do nosso Judiciário,acho que é o mal dos Dsembargadores do no TJ pois antes pares deste senhor se esbanjou nos precatórios,imagine os empregados deste funcionário público o que não passam.

    • Emerson Eduardo Rodrigues Seti

      Este é o retrato dos nossos “magistrados” neste país. Agem como verdadeiros insanos, com a certeza da impunidade, como teve um caso de um juiz que assassinou à queima roupa um vigilante no Nordeste do país. Isto é psicopatia e megalômania. Temos que criar uma comoçao popular para tirar estes bandidos de toga, mandar eles para a cadeia como crime HEDIONDO. Estes bandidos de toga nao podem continuar desafiando a civilidade dos nossos cidadaos, como se fossem deuses, eles nao sao, sao tao mortais quanto nós. Por isto nós temos que nos organizar e o CLAMOR POPULAR deve prevalecer. Eu estou organizando um movimento que vai denunciar o BRASIL por crimes contra a humanidade e grave violaçao dos direitos humanos pelo judiciário, policia e politicos deste pais. Queremos que eles sejam condenados por um tribunal internacional isento de tráfico de influências. O Brasil nao tem qualquer credibilidade e segurança jurídica para julgar nada. Como vemos o desequilibrio deste magistrado e prevalecimento, é fato comum…tem acontecido inúmeros outros casos análogos de abuso de poder!!!

    • Ciro Carvalho DE Meireles Oliv

      Lamentável ouvir um desembarcador, que nada mais é que um funcionário público que ocupa um cargo executivo no governo insultar um negro com ofensas do tipo “macaco”. O país tem que acordar agora, as eleições estão ai, e amanha nós seremos lembrados como os burros, se nada fizermos!

    • Jose Godinho

      Alexandre vc é o cara!!! Parabenssssssssssssssssssssssssssssss

    • Habyb Akwen Xehenty

      so porque e desembargador que humilhar as pessoas …mas respeito quando morrer vai feder igual a todos

    • Aguinaldo Rodrigues

      PARABÉNS ALEXANDRE!! PENA QUE ESSE DESEMBARGADOR NÃO LEVOU UNS TAPAS!!