Congresso terá apenas seis dias de votação durante a Copa do Mundo

Nos jogos em que o Brasil participar, os parlamentares estarão liberados do trabalho. Salários de R$ 26.700 serão pagos normalmente

i67i567i56i6767i

Durante os 32 dias da Copa do Mundo, o Congresso funcionará, na prática, apenas seis. A Casa finalizou na segunda-feira a programação especial de funcionamento – e só seis votações estão previstas nos plenários da Câmara e do Senado no período, informa o jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira.

Os parlamentares estão automaticamente liberados em todos os dias de jogos do Brasil, assim como nos dias em que houver partidas no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Ao todo, caso a seleção brasileira chegue à final, em 13 de julho, serão treze dias de descanso.

Tanto a Câmara quanto o Senado reservam ainda algumas quintas-feiras para sessões de votação, mas nesses dias os quóruns são tradicionalmente esvaziados em épocas normais, sendo raríssimas as ocasiões em que há votações importantes.

Nos bastidores, congressistas dizem ser difícil haver votações importantes mesmo nos seis dias das sessões previstas. Após o encerramento da Copa, o Congresso funcionará por mais quatro dias: o recesso de meio de ano entrará em vigor a partir de 18 de julho.

Apesar da folga para a Copa e para as atividades eleitorais de junho, os 594 senadores e deputados continuarão recebendo integralmente os salários de 26.700 reais e demais benefícios, entre eles as cotas mensais que chegam a 44.200 reais para exercício da atividade parlamentar.

A folga tem como objetivo liberar os congressistas para assistirem a jogos, especialmente em suas bases eleitorais. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), justificou ao jornal a paralisia, com o argumento de que o Congresso tem que se adequar aos “eventos internacionais” no país.

 

Fonte: Veja

Compartilhar: