Conheça dez dicas práticas para abandonar o hábito de roer as unhas

A prática nada aconselhável é normalmente causada por ansiedade ou nervosismo e pelo comportamento compulsivo

img_1_34_592

Mania de nove entre dez ansiosos, o hábito de roer as unhas é chamado cientificamente de onicofagia, e tem implicações muito sérias não somente do ponto de vista estético, mas também para a saúde.

O blog Diário de Biologia explica a importância das unhas, que são formadas pela queratina, proteína endurecida que protege as pontas dos nossos dedos e também é uma estrutura que facilita manipular coisas menores como desatar nós, por exemplo.

Quando roemos as unhas estamos tirando a proteção das pontas dos dedos deixando-as abertas para infecções. A pele ao redor das unhas geralmente fica irritada e pode facilmente inflamar e infeccionar, pela entrada de germes. E por falar em germes, existe coisa mais nojenta que escavação de germes? Quando roemos as unhas muitos deles vão parar na nossa boca pegando uma carona par dentro do nosso corpo. Mas engolir vírus, bactérias e fungos é só um detalhe!

Além de roer as unhas, muitas pessoas são viciadas também em engolir os pedaços retirados. Quem engole a unha pode apresentar pequenas lesões no estômago ou no intestino, e ainda há o risco das bactérias causarem infecções na garganta e estômago. Dentistas dizem que quem rói unha desde pequeno pode provocar o afastamento dos dentes incisivos e a força usada para roer pode abalar as raízes dos dentes, sem falar na gengivite causada pela entrada de germes na boca.

Por que as pessoas roem as unhas?

Ainda que não seja considerada como uma doença propriamente dita, o hábito de roer as unhas é uma patologia de caráter psicológico que, não sendo controlada, pode requerer ajuda especializada.

As causas para o problema podem ser de ordem externa ou interna. Quando as causas são externas, a ansiedade e o nervosismo são provocados por problemas cotidianos – brigas, finanças, trabalho excessivo ou provas da escola/faculdade, por exemplo. Já quando a patologia tem causa interna, ocorrem alterações do sistema nervoso ou desajustes emocionais normalmente gerados por traumas familiares, mal tratos, ciúmes, humilhações, problemas de autoestima, necessidade de autoflagelação ou autocastigo. O hábito dura anos e a pessoa danifica as unhas de tal maneira, que chega a ser considerada uma agressão.

Tratamento

Em casos mais severos o tratamento da onicofagia requer acompanhamento psicológico. De acordo com estudos, 60% das crianças roem unhas, mas a maioria para na adolescência. Já para um adulto é bem mais difícil deixar o hábito de lado. Em casos graves, as unhas podem atrofiar e não nascer mais.

Como deixar de roer as unhas?

Agora que você já sabe que roer as unhas tem implicações para a saúde, além de afetar a sua vida emocional e até social, anote (e coloque em prática) dez dicas que podem ajudá-lo a abandonar esse mau hábito. E lembre-se: mãos limpas e bem cuidadas causam uma excelente impressão! As orientações são do site Melhor com Saúde:

1. Autoconsciência e liberação 

Primeiro você deve identificar as situações que ativam o hábito de comer as unhas como acariciar, tocar, apalpar, esfregar e coçar as unhas, o que leva diretamente a colocá-las na boca. O segundo passo é identificar os momentos nos quais esse hábito se ativa, como em exames, antes de tomar determinadas decisões, etc. Já o terceiro e último passo é escolher atividades que evitem esse processo de estresse e que mantenham as suas mãos ocupadas: devem ser coisas que você gosta de fazer como, por exemplo, esportes, dança, tocar instrumentos, escrever. Dessa maneira, você vai canalizar a sua ansiedade, ao invés de danificar as suas unhas.

2. Substitua esse hábito por plantas 

Comece a mastigar plantas comestíveis como raiz de alcaçuz (faça-o lentamente). Dessa maneira você vai manter a boca ocupada e evitará comer as unhas. É importante que você se acostume a guardar essas plantas em momentos de estresse para que você consiga manter o foco.

3. Chicletes sem açúcar 

Mastigue chicletes ou pastilhas de menta cada vez que você sinta uma vontade incontrolável de roer as unhas. Isso pode ser triplamente benéfico, pois você vai ter um hálito fresco, manter as mãos ocupadas e evitar rugas devido aos movimentos dos músculos da mandíbula.

4. Babosa 

A planta Aloe vera ou babosa tem ótima propriedades para a saúde, mas tem um gosto muito ruim. Descasque a Aloe vera com uma faca e corte-a em pedacinhos. Coloque-os na geladeira e esfregue um quadradinho desses toda manhã em suas unhas. O gosto horrível vai ajudá-lo a manter as unhas bem longe da boca.

5. Exercício de autodomínio 

Esse exercício vai ajudar no controle da vontade de roer as unhas:

Leve um dedo em direção à boca e detenha-o quando estiver a 5 centímetros dos lábios.
Afaste-o.

Repita essa ação várias vezes e a distâncias cada vez mais próximas.

Por último, tente colocar o dedo entre os dentes por alguns minutos sem morder a unha. Depois repita.

Realize esse exercício todos os dias durante alguns minutos e logo você se surpreenderá com os resultados.

6. Unhas postiças 

Cobrir as suas unhas com unhas acrílicas permitirão que as naturais cresçam, impedindo que você as coma. Se você tiver um trabalho muito custoso com certeza você evitará arruiná-lo em sua boca.

7. Curativos para as unhas

Cubra as unhas com as almofadinhas do band-aid e deixe-os aí todos os dias (você pode substituí-los após cada banho). A ideia é que você não demore muito para tirar os curativos e veja como as suas unhas podem crescer saudáveis. Repita quantas vezes for necessário.

8. Adote um passatempo 

Essa atividade evitará que você coma as unhas e, ao mesmo tempo, você poderá descobrir uma nova paixão como, por exemplo, decorar a sua casa, tecer, correr ou fazer outras atividades ao ar livre, inclusive quem sabe até fazer a manicure para as amigas. É recomendável o trabalho com materiais como o barro ou o gesso, que mantêm as mãos sujas.

9. Luvas 

Se você for partidário das luvas, use-as. É uma boa maneira de evitar a onicofagia.

10. Celebre o seu êxito 

Celebre as suas unhas, não tenha pena de dizer o contrário à medida que você for evoluindo. As felicitações dos seus amigos e familiares vão estimular você a continuar mantendo-as sãs e lindas.

Agora você já conhece várias maneiras para evitar a onicofagia e tirá-la da sua vida para sempre. Não se deprima, pouco a pouco você vai alcançar o seu objetivo, é questão de inteligência e vontade.

 

Fontes: Diário de Biologia e Melhor com Saúde

Compartilhar:
    Publicidade