Consegue adivinhar quem vai tocar bateria no novo disco do Smashing Pumpkins?

Uma foto de Billy Corgan ao lado do baterista do grupo foi divulgada no site oficial da banda

yu65uy56ui67ui56i56

O Smashing Pumpkins revelou quem vai tocar bateria em todas as nove faixas de Monument to an Elegy, novo disco da banda: Tommy Lee, do Mötley Crue. “Sim, é Tommy Lee”, diz o site do Smashing Pumpkins, com uma foto (veja ao lado) de Lee ao lado de Billy Corgan em frente a uma mesa de mixagem.

Smashing Pumpkins vai lançar nova edição de Adore junto a outros três discos de material inédito.

No fim de abril, Corgan escreveu um recado no site, celebrando o fato de que havia terminado de compor o álbum. “A menos que eu decida escrever algo melhor ainda no mês que vem”, ele brincou. Ele incluiu a tracklist prévia no post. Monument to an Elegy é um dos dois discos que o Smashing Pumpkins vai lançar em 2015. Veja a lista “sujeita a mudanças”, segundo ele, abaixo:

1 – “Being Beige (World’s on Fire)”

2 – “Anti-hero”

3 – “Tiberius”

4 – “Run to Me”

5 – “One and All”

6 – “Drum and Fife”

7 – “Dorian”

8 – “Monuments”

9 – “Anaise”

Tommy Lee, à propósito, tem se mantido ocupado antes de embarcar na turnê de despedida do grupo de glam metal em julho. Todos os quatro membros do Mötley Crüe assinaram um contrato legal e obrigatório de “parar de fazer turnê” em janeiro, prometendo não se reunirem novamente. “Sempre tivemos uma ideia de excursionar como uma banda grande e não tocar em parques de diversão e clubes com um ou dois membros originais do grupo”, disse Lee à época. “Nosso trabalho está terminado”.

Veja em que posição está Mellon Collie and the Infinite Sadness na lista dos 10 maiores álbuns duplos de todos os tempos, segundo os leitores da Rolling Stone EUA.

Sobre o documento em si, Nikki Sixx disse à Rolling Stone EUA que não é brincadeira. “Trabalhamos nisso com advogados corporativos por um bom tempo, revisando tudo até termos certeza de que estava correto”, ele disse. “Mas está feito. Não há como voltar atrás agora… No ponto em que estávamos, todos na banda continuarão fazendo seus projetos criativos, mas haverá, sempre, momentos em que sentiremos falta disso. Mas ainda não acabou – sem lágrimas por enquanto”.

 

Fonte: Revista Rolling Stone

Compartilhar: