Conselho de Mobilidade discute reajuste da passagem de ônibus em Natal

Seturn propõe reajuste para R$ 2,80. Prefeitura sinaliza para aumento de R$ 0,10

Greve-dos-onibus--JA-----(9)

O Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de Natal reuniu na manhã de hoje todos os conselheiros para discutir pautas relativas ao transporte público na capital potiguar. Entre as discussões, um novo debate sobre a necessidade do aumento das passagens de ônibus. A reunião começou às 10h, mas nada chegou a ser divulgado até o fechamento da edição deste vespertino de hoje.

Para o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (Seturn), a tarifa de ônibus deveria ser fixada em R$ 2,80, valor que cobre todos os custos que o sindicato bancou nos últimos quatro anos com direitos trabalhistas, reajuste salarial, gratuidades nas tarifas, combustível e pneus das frotas das empresas.

A pauta dessa reunião inclui a apresentação de uma planilha atualizada da tarifa de transporte urbano, que mostra o impacto da inflação no sistema ao longo dos últimos anos sem reajuste na tarifa. Recentemente, a Prefeitura de Natal sinalizou a possibilidade de promover um reajuste de R$ 0,10, o que faria com que a passagem passasse a custar R$ 2,30.

No ano passado, o prefeito Carlos Eduardo chegou a autorizar o aumento da passagem de ônibus para R$ 2,30, mas os protestos mobilizados pelos estudantes, em prol do Passe Livre, pressionaram o chefe do Executivo municipal, que decidiu voltar atrás da própria decisão. Nas ruas, o movimento “Revolta do Busão” ameaçou ocupar o Palácio Felipe Camarão, sede da Prefeitura, e depredou diversas áreas públicas e privadas da cidade.

A Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) informou que está desenvolvendo um estudo próprio para apresentar o ‘valor ideal’ para as tarifas do transporte público de Natal. A planilha deverá ser apresentada até o dia 15 de julho, de acordo com o planejamento das atividades da secretaria.

Rodoviários querem aumento salarial

A reunião do Conselho de Mobilidade, que envolve representantes de todas as frentes do sistema, também contou com a participação do Sindicato dos Profissionais de Transporte do Rio Grande do Norte (Sintro/RN), responsável pela greve dos ônibus que durou treze dias em Natal, no início da Copa do Mundo.

O Sintro pretende cobrar da Prefeitura de Natal uma solução para subsidiar o aumento de salário dos rodoviários da cidade. O dissídio coletivo aprovado em negociação com a Justiça foi de reajuste salarial de 7,32%. A categoria pretendia um aumento de 16%.

Compartilhar: