Cônsul do Chile diz que punição a invasores foi muito branda

Além dos chilenos, foram presos um boliviano e um colombiano

Chilenos foram detidos na área de imprensa do Maracanã. Foto: Divulgação
Chilenos foram detidos na área de imprensa do Maracanã. Foto: Divulgação

Na coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira, o cônsul do Chile no Rio de Janeiro, Samuel Ossa, achou que a punição do Brasil aos 88 chilenos detidos na última quarta após invadirem o Maracanã foi branda. Os torcedores foram processados com base no Estatuto do Torcedor, por invasão e tumulto dentro de instalações esportivas, e têm até a meia-noite de domingo para deixarem o País, sem chances de voltar até o fim da Copa – do contrário, serão deportados.

“Eles cometeram um erro inaceitável. Como qualquer visita, não podemos por os pés em cima da mesa. Estamos agradecidos às autoridades brasileiras pela compressão e pela facilidade de ter deixado que saiam em 72 horas. Eles teriam que ser presos e deportados, então saiu barato (para os detidos), pois obviamente estar na prisão é o pior que há”, comentou ele. De acordo com o diplomata, a maioria dos chilenos envolvidos reconhece que errou e que merece pagar pelo que fez.

Ossa explicou que, além dos chilenos, foram presos um boliviano e um colombiano. Dois dos chilenos detidos são residentes no Brasil e continuarão no País mas não poderão assistir a jogos da Copa.

A Embaixada do Chile informou que não arcará com custos de passagens de volta dos chilenos. “Vamos ajudar a contatar as famílias por telefone ou internet para que de alguma forma tenham a possibilidade de cumprir com o prazo da saída”, disse Ossa.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade