CONVENÇÃO – Túlio Lemos

A partir deste final de semana, a campanha eleitoral ganha oficialmente as ruas. Após as convenções partidárias, os candidatos assumem…

A partir deste final de semana, a campanha eleitoral ganha oficialmente as ruas. Após as convenções partidárias, os candidatos assumem de fato e de direito as candidaturas e focam no eleitorado. Discursos com muitas promessas e tapinhas nas costas serão marcas registradas de todos os candidatos.

FORÇA

O deputado Henrique Alves apresenta oficialmente seu acordão com 18 partidos que lhe dão sustentação política. Inegável seu poder de articulação e sua força de atração de diferentes partidos e divergentes grupos que se unem em torno de seu nome para o Governo do Estado.

DIFERENÇA

As eleições no RN já provaram que nem sempre a força política é transformada em força eleitoral. Ter um palanque forte, com lideranças expressivas, não é certeza de tradução em forma de votos. Mais do que nunca, o eleitor está descrente de suas lideranças e, principalmente na chapa majoritária, vota de acordo com seu instinto. A força financeira chega aos políticos; em eleições estaduais, dificilmente o dinheiro chega ao eleitor.

PODER

Henrique e Wilma formam uma chapa forte, um palanque representativo, com lideranças de todas as regiões do Estado. O efeito multiplicador certamente será tentado pelo grupo. Por enquanto, de acordo com as pesquisas, o eleitor ainda não foi ‘tocado’ pela força do acordão. Mais adiante, o tempo dirá se o poderio do grupo será traduzido em voto.

ALIANÇAS

O vice-governador Robinson Faria chega à convenção com um agrupamento de forças pequeno e sem grande representatividade. Independentemente dos motivos, não teve condição de fazer uma grande aliança partidária. Seu palanque é pequeno e seu grupo não amedronta. Resta saber se ele terá capacidade de chegar ao eleitor sem intermediários e se fazer candidato com apelo atrativo.

PRESENÇA

O senador José Agripino anunciou presença na convenção que vai oficializar a chapa Henrique Alves/Wilma de Faria. Simboliza a redução de sua liderança e seu peso político à condição de coadjuvante; abdica o trono de líder para ser liderado.

PRESENÇA II

A presença de Agripino ao lado de Henrique e Wilma também materializa seu gesto de traição à única governadora de seu partido, que viu seu direito de ser candidata novamente, tolhido pela força da sobrevivência familiar. Essa data não tem nada de positivo para ser lembrada por Agripino.

DESENVOLVIMENTO

Frase do deputado João Maia, vice na chapa de Henrique, hoje na 94 FM: “Nós estamos unidos para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte”. O curioso é que João Maia foi secretário de Desenvolvimento de Wilma, indicou seu substituto e o secretário de Desenvolvimento de Rosalba foi Rogério Marinho, que também está no mesmo palanque. Ou seja: os secretários de desenvolvimento não desenvolveram o RN e agora dizem que o Estado vai se desenvolver novamente com eles?

MUDANÇA

O palco armado no Ginásio Nélio Dias para a convenção de Henrique, João Maia e Wilma, traz o slogan “juntos é melhor para o RN” com uma foto gigante dos três candidatos e embaixo do palanque, a inscrição: “Chegou a hora da mudança”.

MUDANÇA II

Wilma de Faria governou o RN duas vezes; João Maia foi secretário de Wilma e indicou secretários para o Governo de Rosalba; Henrique foi Governo com Geraldo Melo, Garibaldi Filho, Wilma de Faria e Rosalba Ciarlini, além de ter quase 50 anos de mandato como deputado. Que mudança significativa espera o RN.

SEMELHANÇA

O IBOPE está cada vez mais parecido com a Consult. Em todos os sentidos.

Compartilhar: