A Copa acabou. E agora? – Danilo Sá

Quando o mexicano Marco Rodriguez apitar o final do jogo entre Itália e Uruguai, na tarde desta terça-feira (24), Natal…

Quando o mexicano Marco Rodriguez apitar o final do jogo entre Itália e Uruguai, na tarde desta terça-feira (24), Natal terá encerrado sua participação na Copa do Mundo de 2014. Ao todo, terão sido quatro jogos, uma verdadeira invasão de milhares de turistas e uma festa inesquecível para natalenses e visitantes. Mas, e depois da Copa, o que será do Rio Grande do Norte?

Desde que foi oficialmente escolhida como sede, a capital potiguar se voltou quase que por completo para o mundial de futebol. Praticamente todas as obras, todos os recursos e qualquer tipo de iniciativa era sempre associada a futura competição. Mobilidade urbana, segurança pública, hospitais, calçadão de Ponta Negra, jardinagem dos canteiros. Absolutamente tudo aconteceu era para a Copa.

A partir de amanhã, os natalenses e seus representantes precisarão pensar além. Primeiro, é fundamental que se concluam as obras iniciadas devido ao evento. O vergonhoso tapume no viaduto sob a marginal da BR-101 precisa ser urgentemente retirado, assim como a via entregue para uso da população. A mesma coisa para os demais pontos ainda pela metade.

Também será preciso descobrir onde foram parar os R$ 25 milhões que seria utilizados para padronizar as calçadas da cidade. Até porque a obra foi paralisada bem antes da metade. Ou o dinheiro já acabou? Isso para não falar no próprio calçadão de Ponta Negra, obra que parece incapaz de ser concluída por qualquer engenheiro, diante de tanto tempo de espera.

Os outros quesitos fundamentais são a saúde, educação e segurança. Trio que dá dor de cabeça ao brasileiro desde sempre. Durante a Copa, foram sentidas melhoras nos dois primeiros, resta saber se o padrão FIFA será para sempre ou se ficará restrito aos dias dos jogos. Já em relação a educação, de bom mesmo fica só o exemplo dos japoneses, únicos a recolherem o lixo gerado por eles nos estádios.

Além de tudo isso, o mundial termina em Natal deixando no colo do prefeito Carlos Eduardo Alves uma bomba para ser resolvida. Não há, até agora, nenhuma solução definida para o deslizamento causado em Mãe Luiza. Pior, a cratera cresce a cada dia, destruindo mais casas e deixando desabrigados. É preciso pensar e agir rápido, para evitar um legado negativo no pós-Copa.

NA CONTA DO POVO

Em tempo: parecia até que o prefeito Carlos Eduardo Alves estava prevendo o prejuízo que seria causado pelo Fan Fest quando se opôs a realização do evento no início do ano. Apesar de até ter atraído um público razoável, foi bastante prejudicada pelas fortes chuvas. Como ainda será realizada até o término da Copa, talvez dê para diminuir o tamanho do rombo de R$ 6 milhões, valor necessário para montar a estrutura na Praia do Forte.

GREVE DOS ÔNIBUS

Outra questão que fica para ser resolvida após a Copa, é a reivindicação dos rodoviários por melhores salários. O Seturn já avisou a Prefeitura que só tem condições de reajustar o valor quando a tarifa dos ônibus também subir de preço. Aí, é praticamente chamar para as ruas, de novo, os manifestantes de 2013.

#VEMPRARUA

Também vale o registro o fato de Natal ter registrado apenas um protesto durante todos os dias em que esteve como sede da Copa. Os manifestantes só foram às ruas no dia do confronto entre Estados Unidos e Gana. E, mesmo assim, foi uma movimentação bem abaixo do esperado, nem perto da grandiosidade das ocorridas em 2013.

BOLSO CHEIO

No setor turístico, tem muita gente comemorando os altos lucros causados pela Copa. Os hotéis e pousadas realmente ficaram lotados, pelo menos nos dias de jogos. Os restaurantes e shoppings também foram invadidos por torcedores das seleções que passaram por aqui. Prejuízo ficou mesmo para os pequenos prestadores de serviço e ambulantes, como quiosques de praia ou de aluguel de buggy. Faltou preparo?

É A LUTA

Com a aproximação do término da Copa, que tem sua grande final marcada para o dia 13 de julho, no Maracanã, as atenções deverão se voltar por completo para as eleições, tanto em nível nacional quanto local. Por aqui, muitos candidatos já estão guardando suas forças para concentrar tudo na hora em que as atenções não estiverem mais divididas. A luta vai começar.

INCOERÊNCIA

Sem espaço na aliança do PMDB, o deputado federal Betinho Rosado deve mesmo desembarcar no palanque do vice-governador Robinson Faria. Quem diria? Cunhado da governadora Rosalba Ciarlini, vai apoiar justamente um dos maiores críticos a gestão rosalbista. Isso para não falar na parceria que precisará firmar também com Fátima Bezerra.

É FESTA

No domingo (29) o ABC completa 99 anos, e, na sexta-feira (27) comemora com uma festa reunindo torcedores, sócios e conselheiros. Durante o evento haverá homenagem aos ex-presidentes e lançamento dos festejos do centenário do clube. O Baile do Preto&Branco será no Olimpo Recepções, às 22h, com open bar e várias atrações musicais. As senhas estão à venda na ABC Store, Banca Cidade do Sol, Sterbom do Midway e na sede do clube.

SAÚDE

De acordo com a Sesap os números de casos notificados de dengue reduziram 52,84% em comparação ao mesmo período em 2013 no RN. Em 2014, de janeiro até 14 de junho, foram notificados 6.773 casos de dengue. Já em 2013, no mesmo período, foram notificados 14.362 casos.

GIRA MUNDO

A notícia foi destaque no Estadão de hoje. “Aos 84 anos de idade, 60 deles dedicados à política, o senador José Sarney (PMDB-AP) comunicou a aliados que não vai se candidatar à reeleição ao Senado. Sarney justificou a aposentadoria dizendo que pretende ficar mais tempo ao lado de sua mulher, Marli, que está doente e vive em São Luís, capital do Maranhão. No entanto, pesou na decisão o cenário político desfavorável. Pesquisas locais mostram alta rejeição a Sarney no Amapá. Ontem ele foi vaiado durante evento ao lado da presidente Dilma Rousseff, em Macapá.”

Compartilhar:
    Publicidade