Cresce número de famílias brasileiras endividadas em janeiro

Percentual de famílias que relatam ter dívidas é de 63,4%

O porcentual de famílias que afirmaram não ter condições de pagar suas dívidas em atraso é de 6,5%. Foto: Divulgação
O porcentual de famílias que afirmaram não ter condições de pagar suas dívidas em atraso é de 6,5%. Foto: Divulgação

O percentual de famílias brasileiras que relataram ter dívidas em janeiro de 2014 chegou a 63,4%, um avanço em relação ao resultado de dezembro de 2013, quando a fatia correspondia a 62,2%. Em janeiro do ano passado, a parcela de endividados também era menor, de 60,2%. Os dados são da Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), divulgada nesta quarta-feira (22) pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

A CNC destaca que, apesar da elevação no porcentual de famílias endividadas, a fatia dos que têm contas em atraso recuou para 19,5% neste mês, contra 20,8% registrados em dezembro do ano passado.  A queda também se observa em relação a janeiro de 2013, quando os inadimplentes eram 21,2%.

Já o porcentual de famílias que afirmaram não ter condições de pagar suas dívidas em atraso, ou seja, permaneceriam inadimplentes, apresentou estabilidade na passagem de dezembro para janeiro, no patamar de 6,5%. Em relação a janeiro de 2013, as famílias nesta condição eram 6,6%.

Muito endividados

A proporção das famílias que se declararam muito endividadas aumentou entre os meses de dezembro de 2013 e janeiro de 2014 – de 11,6% para 12,2% do total de famílias. Também houve alta em relação a janeiro de 2013, quando 12% tinham percepção de endividamento muito elevado. Já a parcela pouco endividada ficou em 26,7% do total de famílias em janeiro deste ano, contra 26% em dezembro e 27,5% em janeiro de 2013.

As dívidas englobadas na pesquisa da CNC envolvem cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro.

 

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade