Criadores do app Secret negam que ele possa causar confusões

Em entrevista, os ex-funcionários do Google David Byttow e Chrys Bader falam sobre as ideias por trás do aplicativo de troca de mensagens anônimas que chegou ao Brasil essa semana

David-and-Chrys

O que acontece quando dois ex-funcionários da Google, ambos com experiência na rede social Google+, da gigante de buscas da internet, se juntam para lançar um aplicativo? O resultado é o Secret, um serviço de troca mensagens que chegou esta semana ao Brasil, e a aparelhos Android, e que tem chamado a atenção por fazer do anonimato a base para o seu funcionamento.

Lançado nos EUA em janeiro desse ano pelos americanos David Byttow, de 32 anos, e Chrys Bader, de 30, o aplicativo tem a proposta de conectar amigos e permitir o compartilhamento de mensagens e imagens de forma anônima com os contatos do usuário. Essa estrutura, afirmam os seus criadores, encorajaria a troca de ideias e pensamentos que, de outra forma, seriam inibidos pela necessidade da identificação do remetente.

A proposta não é exatamente nova: outros apps de mensagens anônimas já surgiram antes dele, como o Yik Yak. No entanto, a diferença do Secret é que, ao usar o número de celular do usuário para o seu cadastro, os textos e imagens compartilhados são vistos apenas pelos seus contatos diretos.

Mas será que um app que tem como principal característica o anonimato não seria propenso a despertar o lado mais fofoqueiro e, por que não, cruel das pessoas? Precedentes existem: em março passado, o Yik Yak foi desabilitado em Chicago após o registro de inúmeras confusões envolvendo o app em diversas escolas do estado americano – entre elas, situações de ciberbullying e até uma denúncia falsa de bomba.

Em entrevista, os criadores do Secret refutam a possibilidade de o mesmo ocorrer com o aplicativo, explicam as ideias por trás da sua proposta, dizem estar animados com o lançamento do serviço no Brasil e revelam alguns segredos de si mesmos.

Como surgiu a ideia para o aplicativo?

David Byttow: A ideia por trás do Secret veio de um desejo meu de enviar um bilhete de amor para a minha namorada, anonimamente. A experiência de enviar e receber um bilhete era ao mesmo tempo mágica e emocionante. A situação me ajudou a perceber que muitos dos nossos pensamentos rápidos começam silenciosamente – o momento em que descobrimos que estamos apaixonados; nossa primeira entrevista para um emprego novo; o sonho que temos de viajar. Enquanto as pessoas compartilham uma grande quantidade dos pensamentos nas redes sociais, as ideias do tipo que mencionei não encontraram ainda um lar nas redes mais populares, e nós queríamos mudar isso. Por isso criamos o Secret.

Vocês dois são ex-funcionários do Google. Em que trabalharam na empresa e quais experiências têm fora dela?

David: Sou engenheiro de software com experiência ampla e profunda em liderar produtos em algumas indústrias, incluindo redes sociais, de pagamento ou de jogos. Antes do Secret, fui diretor de infraestrutura do Wallet, no Square, onde ajudei a criar ferramentas como o Square Cash. Além disso, também trabalhei para o Google, onde ajudei a criar produtos como o Google Wave e o Google+.

Chrys Bader: Fui gerente de produto do Google, onde criei uma comunidade de compartilhamento de fotos Photovine e colaborei para o Google+ e o YouTube. Já criei e lancei alguns outros apps móveis, como o Fliggo, o TwitVid, o Vidly e o Treehouse.

Qual é o objetivo do aplicativo e as ideias por trás dele?

David: O Secret dá ao usuário um lugar em que ele pode compartilhar os tipos de experiências já mencionadas entre amigos. Ao retirar a pressão, removendo o nome do usuário do post, essa pessoa pode ser ela mesma. Uma vez que um segredo é compartilhado, os amigos podem respondê-lo, dar apoio, ou, até mesmo discordar. Quando as ideias são o foco, amigos podem ser mais honestos e o resultado é uma experiência única. Amigos podem se relacionar de novos jeitos, e descobrir semelhanças e diferenças.

Que tipo de usos vocês imaginam para o app?

Chrys: Nós criamos o Secret para dar ao usuário um lugar seguro para ele compartilhar o que está sentindo com os amigos. Uma vez que um segredo é compartilhado, ele se torna algo real – você recebe respostas honestas, conselhos de ajuda e começa conversas genuínas. Com o Secret, pretendemos dar às pessoas um novo e autêntico jeito de conectar amigos em torno do que pensam e sentem.

Como avaliam os usos que têm sido feitos dele até agora?

Chrys: Nós estamos inspirados pelas discussões notáveis que surgiram no app e com a riqueza de ideias compartilhadas entre amigos, colegas e até pessoas que não se gostam. As mensagens de maior sucesso incluem alegrias, reflexões sobre planejamento familiar, e até recados de mães. Outro tópico quente no são as profissões. Vemos pessoas pedindo conselhos profissionais, ou simplesmente satisfazendo curiosidades, como pesquisas de salário, discussões sobre família versus carreira, detalhes de dentro de empresas. Mensagens de apoio também têm sido outro grande. Segredos procurando e oferecendo apoio dão início a conversas autênticas e comoventes, como situações em que alguém está pensando em ter filhos.

David: Em resumo, é incrível observar a comunidade crescer e evoluir, e mal podemos esperar para ver o que os próximos dois meses trarão.

Quantos usuários o Secret tem no momento?

David: Apesar de não compartilharmos números de usuários, nós podemos dizer que estamos bastante satisfeitos com o crescimento do serviço, que nos EUA estava disponível apenas para dispositivos iOS até pouco tempo atrás nos EUA. Agora que o Secret pode ser encontrado globalmente, tanto nos aparelhos Android e iOS, crescimento será o nosso maior foco.

Anonimato é, geralmente, um assunto polêmico quando relacionado à internet. Alguns o defendem, outros pensam que ele pode ser muito prejudicial. Vocês criaram um app baseado nisso. O que pensam sobre o assunto?

David: O Secret é um lugar para que amigos compartilhem coisas entre eles que, não fosse o anonimato, eles não o fariam: dúvidas, esperanças e mais. Nós acreditamos que adolescentes precisam disso tanto quanto adultos. É importante notar que, no Secret, você sempre está compartilhando entre círculos de amigos – não entre estranhos.

Mesmo que vocês vejam um lado positivo no anonimato, precisam concordar que, de fato, ele pode ser muito danoso, já que muitas pessoas se aproveitam para serem prejudiciais. Como vocês pretendem evitar esse tipo de comportamento no app?

Chrys: Nós entendemos que anonimato vem com responsabilidade. Por isso que nós temos uma linha dura com conteúdos de bullying, quando sinalizados – nós encorajamos a nossa comunidade a sinalizar conteúdos que violam as regras da nossa comunidade, e o revisamos.

David: Além disso, também banimos usuários que não são positivos para o Secret. Devido ao modo como o app funciona (o número de telefone do usuário o conecta com os amigos no app), um banimento é mais significativo em nossa plataforma – quando o seu telefone é banido, seus amigos não serão capazes de encontrarem ou se conectarem com você de novo no app.

Vocês se preocupam com a possibilidade de situações de bullying acontecerem com o Secret, como já aconteceram com o Yik Yak?

David: Há muitos novos aplicativos que permitem aos usuários compartilhar atualizações, pensamentos e sentimentos de forma inédita, e achamos que isso é um sinal de que as pessoas estão procurando maneiras particulares, mais pessoais, para se comunicar. Quanto ao que faz o Secret diferente do app Whisper, por exemplo, ou de qualquer outro aplicativo, é o fato de que o centro da experiência na nossa plataforma está em compartilhar com amigos – é o que faz os segredos postados no Secret interessantes, o fato do usuário saber que está conectado com a pessoa que o postou.

Vocês estão trabalhando em novas implementações para o aplicativo? Para quando os usuários brasileiros podem esperar uma versão em português?

Chrys: Torná-lo disponível é apenas o primeiro passo para novas implementações, como traduções. À medida que observarmos como a nossa recepção local evolui, nós poderemos escolher os mercados com mais usuários e traduzir o app e fazer mais adaptações. Nós estamos animados em ver como seremos recebidos no Brasil.

Como vocês pretendem estimular usuários de culturas diferentes, que falam línguas diferentes, a usar o app?

David: O mais importante sobre o Secret é que nós conectamos o usuário com pessoas que você conhece (por meio do seus contatos telefônicos), então o idioma e o contexto já vai estar adaptado quando você convidar amigos a se juntar ao Secret. Dito isso, você vai nos ver localizar o app em países que o abraçarem, e esperamos que o Brasil faça isso logo.

E quanto à monetização do Secret? Vocês se preocupam com isso?

David: Por enquanto, estamos focados em fazer o Secret o melhor que ele pode ser. Nós temos ideias sobre como monetizar o app, mas não é algo com o qual temos gasto nosso tempo no momento.

Por último, podem me contar um segredo sobre vocês?

David: Claro. Estou começando a buscar um filhote de cachorro e estou muito animado.

Chrys: E Eu escuto Justin Bieber no trabalho. Sou um grande fã.

 

 

 

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade