Crianças devem comer carne vermelha no mínimo 3 vezes por semana

A carne bovina é uma importante fonte de vitaminas do complexo B, zinco, ferro e proteínas, que atuam no crescimento de músculos, órgãos e tecidos em geral

O ferro heme, encontrado somente na carne vermelha, é melhor absorvido pelo corpo e combate a anemia. Foto: Divulgação
O ferro heme, encontrado somente na carne vermelha, é melhor absorvido pelo corpo e combate a anemia. Foto: Divulgação

A alimentação desempenha um papel fundamental no desenvolvimento muscular, esquelético e endócrino de crianças e adolescentes. E a carne bovina precisa integrar o cardápio deles, já que é uma importante fonte de vitaminas do complexo B, zinco, ferro e proteínas, que atuam no crescimento de músculos, órgãos e tecidos em geral.

Combate a anemia

“A carne bovina é uma grande aliada no combate à anemia – que ocorre devido à grande demanda de ferro pelo organismo e ingestão deficiente do mineral”, explica a nutricionista e consultora Flávia Vosqui. “Ela possui ferro orgânico, chamado de ferro heme, que é melhor absorvido pelo corpo humano, comparando-se com esse mineral presente em alimentos de origem vegetal, como as nozes, castanhas, grãos.”

Absorção de ferro

Para que o ferro seja melhor absorvido, há uma dica fundamental: no final das refeições com carne vermelha, ofereça uma fruta com vitamina C (laranja, limão, acerola, entre outros). Evite o suco, pois o líquido retarda a digestão. “Quando a vitamina C está presente, só traz benefícios, já que os nutrientes da carne apresentam melhor absorção”, explica a nutricionista.

Consumir em dias alternados

Pelo menos três vezes por semana, inclua carne bovina no cardápio de crianças e adolescentes, com bifes em torno de 80 a 100 gramas. “Dê preferência à alcatra, filé mignon, lagarto, patinho e coxão mole. A picanha, a bisteca e a costela, que são mais gordurosas, devem ser consumidas esporadicamente”, argumenta a especialista.

Prepare a carne grelhada, assada e, principalmente, cozida, que garante a melhor absorção dos nutrientes, como o ferro e o zinco. E evite servi-la no jantar. “À noite, o organismo funciona mais lentamente, a digestão é dificultada, assim como o sono. O melhor é que a carne seja ingerida no almoço”, orienta Flávia Vosqui.

Nos outros dias da semana, substitua a carne vermelha por frango, peixe, vísceras ou ovo, mesmo que esses alimentos não contenham a concentração de ferro orgânico. Assim, a refeição sai da monotonia e agrega diferentes valores nutricionais ao organismo.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade