CRISE – Túlio Lemos

A deputada federal Fátima Bezerra conseguiu provocar uma crise dentro do grupo que apóia sua candidatura ao Senado. Ao escolher,…

A deputada federal Fátima Bezerra conseguiu provocar uma crise dentro do grupo que apóia sua candidatura ao Senado. Ao escolher, sem qualquer tipo de assembléia ou votação interna, um filiado recente do PT para ser seu suplente, Fátima ignorou os aliados e até os filiados históricos do PT. O salto da irmã de Tetê está cada vez mais alto.

CRISE II

Fátima escolheu simplesmente um ex-secretário de Wilma para ser seu suplente. Menos pelas qualidades técnicas de Jean Paul Prates, mais pela forma como o nome foi escolhido. Afinal, a própria Fátima sabe que tudo no PT é discutido e votado. Ela desconheceu a prática de seu partido e a importância que os aliados poderiam ter na escolha.

PRESIDENTE

A união dos contrários começa a dar problemas aos seus integrantes. Com uma chapa de três cabeças, o acordão termina provocando situações desconfortáveis. O candidato a presidente de Wilma de Faria, ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, considera Henrique Alves, personagem indesejado para sua eventual gestão. O que dirá a Guerreira, que hoje morre de amores por Henrique?

SUMIU

Um leitor atento e questionador, quer saber da secretaria de Obras da Prefeitura, para onde foi a entrada da Rua Romualdo Galvão, para quem vai de Candelária para o Centro. Antes, existia uma entrada ao lado da casa de Geraldo Melo; agora, com o túnel, a entrada sumiu. A Semopi deve ter alguma explicação.

FALSIDADE

O senador José Agripino afirmou que a nota de solidariedade do vice-governador em desagravo ao que ocorreu na convenção do DEM, “é tão falso quanto uma nota de R$ 3″. O pai de Felipe acertou. Até porque, em matéria de falsidade, Agripino é professor. Que o digam Rosalba e Carlos Augusto; Wilma e Henrique.

Compartilhar: