Defesa Civil faz novas vistorias em áreas de risco na capital do RN

Com muitas rachaduras, casa foi interditada em Mãe Luiza. Objetivo do grupo é adotar medidas preventivas de proteção à população

Defesa-Civil-interdita-casa-em-Mee-Luiza-WR-1

Enquanto diversas pessoas começam a se recompor diante da forte chuva que alagou casas e inundou ruas em Natal, a equipe de Defesa Civil do município iniciou um novo processo de vistoria das estruturas instaladas em áreas de encosta. O objetivo do grupo é adotar medidas preventivas de proteção à população e conscientizar moradores a adotarem cuidados básicos no dia a dia.

Na manhã de hoje, cinco agentes percorreram comunidades do Paço da Pátria, Jacó e Mãe Luiza, registrando as situações identificadas para encaminhar relatório à Secretaria Nacional de Defesa Civil. No trajeto, uma casa foi interditada em Mãe Luiza. As comunidades África, Leningrado e Nova Cidade também receberão a visita do grupo na próxima semana.

“Estamos fazendo uma avaliação das casas instaladas nas áreas de encosta, que são as que mais correm riscos de rachaduras e desabamento em dias de chuva. Identificamos diversas moradias com rachaduras que podem comprometer a estrutura futuramente, colocando em risco a vida de diversas famílias. Depois desse monitoramento, encaminharemos o relatório aos órgãos municipais, estaduais e federais competentes ao caso”, destacou o diretor do Departamento de Defesa Civil de Natal, Cabo Jeoás Santos.

Santos, explicou que, se necessário, os 30 agentes que compõem a Defesa Civil entrarão em campo na tentativa de prestar o melhor serviço para a população de Natal. “Nossa missão é a de fazer o monitoramento dessas áreas de risco. Porém, em caso do surgimento de alguns desastres, como desabamento de casas e deslizamento de terras, prestaremos apoio à população”, afirmou.

Nos últimos dois dias foram registradas 20 ocorrências, sendo a maioria delas referentes a inundações nas zonas Norte e Leste. As chuvas causaram o desabamento de um prédio antigo em Cidade Alta e de uma casa no km 6. Não houve nenhum registro de deslizamento de terra.

“A tendência é que a situação nessas áreas de encosta piore a cada novo dia de chuva. Por isso, pedimos que a população nos ajude no trabalho de enfretamento, denunciando casos de risco e adotando cuidados básicos. Muitas pessoas jogam água servida nas ruas, tiram a vegetação, cortam árvores indevidamente. Tudo isso pode culminar em perigo de vida”, alerta Jeoás.

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) prevê que durante este final de semana as chuvas devem continuar em todas as regiões do Estado. Para Natal, a previsão é de céu parcialmente nublado com pancadas de chuva e temperatura máxima de 29 graus.

Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, a expectativa é que as chuvas sejam mais frequentes na faixa litorânea, devido fatores como altas temperaturas, que deixam as águas mais quentes e possibilitam maiores incidências.

Compartilhar:
    Publicidade