Defesa de suspeito de ferir cinegrafista diz ter nome de quem lançou o rojão

O cinegrafista continua em estado muito grave, segundo informação da Secretaria Municipal de Saúde

A polícia investiga a agressão sofrida pelo cinegrafista durante protesto contra o aumento das passagens de ônibus. Foto: Divulgação
A polícia investiga a agressão sofrida pelo cinegrafista durante protesto contra o aumento das passagens de ônibus. Foto: Fernando Brazão / Agência Brasil

O advogado do estudante e tatuador Fábio Raposo, 22, indiciado pelos crimes de tentativa de homicídio e explosão no caso do cinegrafista da “Band” Santiago Ilídio Andrade, 49, que foi ferido após uma explosão em uma manifestação no centro do Rio de Janeiro, na última quinta-feira (6), afirmou que já identificou o nome da pessoa que atirou o rojão e que deve entregá-lo à polícia.

“Através do Fábio localizei uma pessoa que é íntima deste rapaz e me passou a identidade e o CPF deste rapaz. A pessoa me passou e vou entregá-lo à autoridade policial”, afirmou o advogado Jonas Tadeu Nunes em entrevista à “Globonews”.

Preso na manhã de domingo (9) na casa dos pais, na zona oeste da cidade, Raposo aceitou colaborar com a polícia em benefício da delação premiada. Em mais de três horas de depoimento, o jovem acabou sendo convencido pelo delegado e pelo advogado a dar informações sobre um segundo suspeito, que foi responsável por acender o artefato explosivo e deixá-lo próximo à vítima.

Raposo disse conhecê-lo “de vista”, já que ambos teriam participado de várias manifestações anteriormente. Fotos e vídeos de profissionais de imprensa que estavam no protesto mostram que o segundo suspeito vestia camisa cinza e calça jeans. A partir das informações passadas por Raposo, os investigadores vão elaborar um retrato falado.

Estado grave

O cinegrafista continua em estado muito grave, segundo informação da Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com a Secretaria, Andrade continua no centro de tratamento intensivo do Hospital Souza Aguiar e seu quadro de saúde não apresenta melhora.

Santiago Andrade foi atingido na cabeça por um explosivo, quando fazia a cobertura de manifestação contra o aumento do valor da passagem de ônibus no Rio. Ele teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda.

 

Fonte: Uol

Compartilhar: