Delegacias que ficarão de plantão durante a Copa não oferecem estruturas básicas‏

Unidades estão deterioradas, sem material de trabalho suficiente e até mesmo sem efetivo

2ª DP só dipõe de três cadeiras para população aguarda procedimentos. Foto: Divulgação
2ª DP só dipõe de três cadeiras para população aguarda procedimentos. Foto: Divulgação

Algumas delegacias localizadas em área de litoral de Natal terão funcionamento de plantão, durante a Copa do Mundo, ocasião na qual a capital potiguar deverá receber grande fluxo de turistas. No entanto, as unidades estão longe de atenderem aos padrões internacionais de qualidade. A Diretoria do SINPOL-RN visitou duas e constatou problemas como computador quebrado, infiltrações em paredes e até mesmo em rede elétrica, estrutura física deteriorada e, claro, falta de efetivo suficiente para atender a demanda.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

No 2º Distrito Policial, por exemplo, unidade responsável por atender demanda de áreas como Praia do Meio, Brasília Teimosa e Santos Reis, o computador do chefe de investigação está quebrado, só há uma impressora para a impressão das dezenas de boletins de ocorrência diários, inquéritos, depoimentos, mandados, ofícios e demais demandas da DP.

A antiga carceragem da delegacia está deteriorada, sendo usada como depósito de produtos apreendidos, o que gera risco de procriação de insetos ou bichos peçonhentos. As torneiras do banheiro disponibilizado para a polução também estão quebradas.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Outro detalhe curioso é a forma como é feito reconhecimento de suspeito. “Se um dos turistas que vier a Natal for assaltado na Praia do Meio e a polícia conseguir prender algum suspeito, o turista terá que fazer o reconhecimento olhando por um buraco feito em uma porta”, explica Judas Tadeu, chefe de investigação da 2ª DP.

Já no 4º Distrito Policial, em Mãe Luiza, as infiltrações tomam conta das paredes da unidade. Em dias de chuva, a estrutura chega a colocar em risco a vida dos policiais que lá trabalham, tendo em vista que a água escorre pela fiação elétrica, gerando possibilidade de curto-circuito. Além disso, as infiltrações fazem a água escorrer e alagar o chão, bem como criam rachaduras no teto.

Paulo Macedo, chefe de investigação da 4ª DP, relata que a unidade tem uma equipe de 13 policiais, entre delegado, escrivão e agentes. No entanto, apenas dois se prontificaram a trabalhar no plantão da Copa do Mundo, recebendo diária de R$ 50. “Não sabemos como será feito esse atendimento à população, já que apenas dois policiais se colocaram a disposição”, comenta.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

O funcionamento de plantão dessas delegacias será das 16h até o dia seguinte. Além da 2ª e 4ª DPs, o 15º Distrito Policial, em Ponta Negra, e a Delegacia de Narcóticos também terão serviço de plantão em dias de jogos.

“Essa é a realidade da segurança pública do Rio Grande do Norte. Milhões de Reais foram gastos na construção de um estádio, mas as delegacias estão abandonadas e sem condições de atender a demanda natural da sociedade potiguar e ainda mais com o aumento no fluxo de turistas. Além do mais, o Governo não ofereceu nenhum tipo de treinamento ou curso para que os policiais saibam lidar, por exemplo, com estrangeiros que falam outras línguas que não português. Temos profissionais muito qualificados já que somos de uma carreira de nível superior, muitos policiais são especialistas, outros mestres e até mesmo doutorandos, mas poucos possuem fluência em outros idiomas, o que dificultará os registros e atendimento das ocorrências”, comenta Renata Pimenta, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública.

4 ª DP em Mãe Luíza com infiltração na rede elétrica. Foto: Divulgação
4 ª DP em Mãe Luíza com infiltração na rede elétrica. Foto: Divulgação
Compartilhar: