Delegado pede “surra de cipó roxo” para casal gay no Acre

A afirmação do policial se difundiu em diversas páginas e blogs e gerou mais comentários na matéria

casal1

Por ocasião do Dia dos Namorados, uma agência de notícias do Acre publicou neste mês reportagem sobre Thiago Fernandes e Jefferson Saady, casal que então comemorava pela segunda vez a data. A reportagem, feita e publicada no site da ContilNet Notícias, contava um pouco da história dos dois, abordando o preconceito e as dificuldades enfrentadas por um casal homossexual no Brasil atual.

O texto, aberto a comentários, gerou reações positivas, de leitores elogiando e defendendo a liberdade de opção sexual, mas também negativas, de pessoas contrárias à existências de casais gays. Entre as reações negativas, estava a do delegado Mardilson Vitorino Siqueira, da Polícia Civil do Acre. que pediu uma “boa surra de cipó roxo” para os namorados.

“Uma boa surra de cipó roxo, logo essas pérolas seriam colocadas em seus devidos lugares… Nada contra a opção de cada um, mas que é uma falta de vergonha e de respeito para com o nosso Criador e a família, sem dúvidas, pois família que se preza não aceitaria!!!!”, escreveu o delegado na página da reportagem.

comentario

O comentário, embora similar em conteúdo a muitos outros, ganhou proeminência pelo cargo ocupado por seu autor. A afirmação do policial se difundiu em diversas páginas e blogs e gerou mais comentários na matéria. Alguns dias depois, o delegado postou uma explicação.

724418

“Venho esclarecer que jamais quis ou quero incentivar a violência, luto contra ela e continuarei, o que expus foi opinião pessoal e NÃO COMO DELEGADO”, escreveu. “Nenhum comentário farei mais sobre o assunto. Sou homem comum e tenho direito de expressar meus pensamentos, sigo os preceitos bíblicos, embora seja pecador como tantos. Frequento todas as religiões e a minha fé está na existência de um ser Supremo chamado DEUS!”.

A reportagem tentou contato com a Polícia Civil do Acre, mas não obteve retorno.

 

Fonte: Terra

Compartilhar: