Departamento médico do Botafogo cogita fazer paralisação por salários

Profissionais estão sem receber há quase cinco meses e ficaram insatisfeitos por promessa não cumprida pela diretoria alvinegra. Crise também atinge a base

Botafogo ainda vive grave crise financeira. Foto: Divulgação
Botafogo ainda vive grave crise financeira. Foto: Divulgação

O problema financeiro vivido pelo Botafogo ainda está longe de ser solucionado. Sem receber há quase cinco meses, membros de todo o departamento médico mostram insatisfação com as promessas da diretoria e até cogitam fazer uma paralisação nos trabalhos, nos próximos dias.

O ápice do problema veio após a diretoria prometer quitar parte dos atrasados destes funcionários com a renda do clássico contra o Fluminense, em Brasília. A promessa, entretanto, não foi cumprida porque os torcedores que se comprometeram a arcar com os salários do elenco até o fim do ano fizeram pressão nos dirigentes para quitar apenas o débito com os jogadores.

Os profissionais já tinham dado alguns votos de confiança aos dirigentes, porém, mais uma vez, nada foi resolvido pela diretoria alvinegra, aumentando o incômodo dos membros do departamento médico.

Crise também na base

Se a situação no clube é de um intenso turbilhão financeiro, as categorias de base também vêm sofrendo na pele reflexos desse momento conturbado no Botafogo. Com o atraso no pagamento dos planos de saúde, desde o dia 25 de julho, os jovens atletas do clube estão prestes a perder o auxílio, que está prestes a ser cancelado pela Golden Cross.

Além do mais, em jogos fora do Rio de Janeiro, nenhum médico está viajando com a delegação, que está sendo acompanhada apenas por massagistas e fisioterapeutas. Panorama que também se repetiu em um treinamento na semana passada no ArtSul, onde os jovens não contaram com a presença de um médico na atividade.

Procurado pela reportagem, Eduardo Freeland, gerente das categorias de base do clube, não respondeu aos questionamentos sobre o assunto.

Fonte: Lancenet

Compartilhar: