Depois de 23 anos, Kelly Slater sai da Quiksilver e vai em busca de novos desafios

Parece uma brincadeira do dia 1º de abril, mas é verdade

65u56u56u5

Já era madrugada quando um amigo do Rio, José Mauro Portugal, mandou o link da página do Kelly Slater no Facebook, 5 segundos depois dele ter postado o que parecia uma piada de mau gosto, brincadeira de 1º de Abril. Slater saiu da Quiksilver? Só comecei a acreditar depois de ler o post, mas tive que confirmar com alguém mais próximo da situação, na Austrália.

Segundo Slater, quando entrou na Quiksilver, há 23 anos atrás, ele deixou de ser um surfista amador e partiu para a carreira profissional.

Sim, Kelly está fora da marca que o patrocinou desde os 18 anos, em 1990, antes mesmo dele abocanhar sua primeira bolada [100 mil dólares] no Body Glove Surfbout, em sua amada Lower Trestles. Em 92 ele venceu seu primeiro dos 11 títulos mundiais. Festejado como maior atleta de todos os tempos Kelly ajudou muito o surf chegar ao patamar em que se encontra. Mas mesmo sua obsessão competitiva ímpar não o impediu de tentar outros caminhos, como se tornar estrela do seriado norte americano “Baywatch”, em 94, depois venceu 5 títulos mundiais seguidos. Não deixou de aprimorar suas tacadas no golf, pegar a Gisele… Trabalha na viabilização de uma piscina de ondas. A verdade é que seu engajamento em assuntos que se referem ao cuidado com o planeta e qualidade de vida, dele e de outros, tem se tornado cada vez mais sério.

Talvez isso tenha a ver com a marca que ele pretende desenvolver. Quem sabe por isso se apresentou na etapa de abertura do circuito mundial, em Snapper [Gold Coast, Austrália], tão distante do competidor focado que dominou o surf por mais de duas décadas. Afinal uma mudança de trajetória assim não se resolve da noite para o dia. A nota postada em sua página do Facebook logo depois do horário de almoço, na Austrália, diz o seguinte:

“Há pouco que eu possa dizer para dar o devido crédito ou cobrir a dívida de gratidão que sinto em um nível pessoal e profissional pela Quiksilver. Como marca e num nível humano eles têm sido parte da minha vida, carreira e relacionamentos pessoais de mais de 23 anos, bem mais de metade da minha vida. Eles me apoiaram nos momentos bons e ruins, dificuldades pessoais e triunfos competitivos e nunca hesitaram em apoiar minhas escolhas e desejos em todo esse tempo. Sob a tutela de Bob McKnight, Bruce Raymond, Alan Green, Pierre Agnes e Danny Kwock (e muitos outros), a Quiksilver fechou comigo um contrato de patrocínio de 100%, em 1990, terminando minha carreira amadora, me guiando para a minha vida profissional e vida adulta.

Ter seu grupo de apoio ao redor do mundo me permitiu criar uma vida que eu só poderia sonhar quando criança… fazendo um documentário (Kelly Slater em preto e branco) sobre o início da minha carreira profissional , indo em passeios de barco e aviões pequenos fretados para locais remotos que eu provavelmente nunca veria, fazendo longas viagens de carro e passeios promocionais para lugares que eu nunca teria visitado, fazendo filmes em viagens a ilhas tropicais que poucas pessoas já viram, etc. Não poderia haver melhor parceiro para mim do que a Quiksilver.

As lembranças que tenho de entrar para a equipe e me tornar como irmão dos meus heróis e surfistas da equipe, como Tom Carroll e Ross Clarke-Jones e fazer amizades duradouras com Stephen Bell e outros preencheu minha vida de forma exponencial. Não há número suficiente de páginas ou palavras para expressar os meus sinceros agradecimentos e apreço pelas experiências que vieram a partir desta relação que compartilhamos juntos. Por isso, é com o coração pesado e uma vida inteira de memórias positivas que me encaminho para um novo capítulo da minha vida.

Ao contemplar as oportunidades incríveis que tive na vida e a quantidade de sorte que encontrei ao longo do caminho é com entusiasmo que anuncio hoje que embarco em uma nova jornada. Durante anos eu sonhei em desenvolver uma marca que combinasse o meu amor por uma vida mais saudável, responsabilidade e estilo. A inspiração para esta marca vem das pessoas e culturas que encontro em minhas constantes viagens pelo mundo e esta é minha oportunidade de construir algo do jeito que eu sempre quis.

Então, estou animado para dizer-lhes que eu escolhi The Kering Group* como parceiro. Eles compartilham dos meus valores e têm a capacidade de me apoiar em todos os meus empreendimentos. Estou ansioso para explorar todas as novas oportunidades que esta parceria irá proporcionar, mas isso não aconteceu por acaso, nem tem acontecido sem uma incrível quantidade de trabalho de algumas pessoas chave. Embarcando nesta nova jornada estou me apegando aos meus instintos profundos e a crença de que seus sonhos podem se tornar realidade com as intenções certas. Estou ansioso para compartilhar mais sobre isso em breve… – Kelly ”

Que data para soltar essa notícia. O cara é realmente maquiavélico. Deve ter muita gente em diferentes postos do mercado de surfwear mundial imaginando se isso não é mesmo pegadinha de 1º de abril. O fato é que ele vai competir em Margarete River, na segunda etapa do WCT 2014, que começa nessa terça-feira [01/04] no Brasil. No oeste australiano já será dia 2, portanto, não tem brincadeira.

 

Fonte: ESPN

Compartilhar: